terça-feira, 18 de março de 2008

A dor do silêncio...

Há silêncios preciosos, há silêncios obrigatórios e há também silêncios que chegam a causar mágoa...
Porque há pensamentos que precisam ser ditos, há contactos que precisam ser mantidos e sentimentos que não podem ficar por dizer. Há certezas que se têm que encontrar...
A dor do silêncio...
Nada parece fazer sentido...
Mas antes de tudo, o que importa mesmo, é sermos verdadeiros connosco... Definir sentimentos, vontades, objectivos. Definir como vais querer viver a tua vida, se vais continuar a optar pelas decisões mais fáceis ou se vais querer arriscar, seja para o bem ou para o mal... Mas arriscar quando isso parece ser o mais correcto, o mais justo contigo e mesmo com os outros e que sentes que será o que te irá fazer feliz. Pode ser por breves momentos ou pode até durar para sempre... Mas demore o tempo que demorar, só por isso, vai valer a pena...
A dor do silêncio...
Quando se quer falar, mas o medo de arriscar é maior...ai chega a dor...



sexta-feira, 14 de março de 2008

...momentos...

O corpo está rígido. O coração apertado. No peito um aperto, na barriga um “formigueiro”.

Nada à volta parece estar no sítio certo e na verdade nem se chega a perceber onde se está e o que se tem a fazer!

Não há reacção, o raciocínio não é claro, as palavras certas teimam em não sair...

E disfarça-se... Tenta-se abstrair de tudo e sorrir...Afinal, os outros não sabem, nem têm que saber...

Mas por dentro...perturbante...

Angústia, mágoa, dor, incerteza, tristeza, dúvida, desilusão...

E é neste momento que a solidão chega, porque é dela que se precisa, porque é ela...que eu quero...


One song...

“You’re gone”

segunda-feira, 10 de março de 2008

Tento saber...

Cada vez mais considero a paciência uma sabedoria, uma vantagem, um dom...

Na generalidade, e segundo o que me parece, a paciência é algo que vai amadurecendo ao longo da vida. Talvez seja assim...

Nem sempre é fácil aguardar por algo que ansiamos, seja o que for. Umas férias, um contacto, um gesto, um telefonema, uma oportunidade ou simplesmente o aguardar da coragem necessária para fazer determinada coisa ou tomar certa atitude.

Saber esperar pelo momento “certo” para falar, saber analisar cada situação e ter noção que aquela não é a ocasião para dizer o que quer que seja...mas com paciência esse momento chegará.

Saber calar quando o que nos apetece é explodir, saber ouvir quando se calhar nós é que precisamos de falar...

Ter paciência com os que nos rodeiam, pois também nós em algum dia iremos precisar dela. Pois a vida dá muitas voltas, nunca sabemos de quem e do que iremos precisar...

O que eu tento, com paciência, é saber...

quinta-feira, 6 de março de 2008

Vence...

Acorda em cada dia com a certeza que hoje vives,

E brinda-o sempre com um sorriso.

Faz o que tiveres que fazer,

Levanta-te, corre, grita, chora, abraça, contraria, resmunga, reclama, participa...

Mas vive e vence.

Os que se tornam grandes mestres, os bons líderes são os grandes servidores. E os vencedores são aqueles que mantêm sempre a mesma garra de viver, quem tem ambições, quem quer sempre mais, quem procura o melhor.

Aceita a luta e batalha.

Acredita que tudo o que requer esforço, tem um gosto acrescido.

E tu não vais querer perder nenhum golpe, nenhuma oportunidade.

Porque ai pode estar a diferença...

E a diferença podes fazer tu, cada um de nós...em cada dia...

Faz com que a tua presença seja notada,

Faz com que no fim, tudo te saiba a vitória e te orgulhes disso.


It's never "Good Enough"...