quarta-feira, 30 de setembro de 2015

10 passos para ser (mais) otimista

É possível aprender a ser ver as coisas de forma mais positiva? É claro que sim! Siga os conselhos de uma especialista em psicologia positiva e encare a vida de outra forma.

 
É possível aprender a ser otimista? A resposta é... claro que sim! Se até hoje só tem conseguido ver o lado negativo de tudo o que lhe acontece na vida, a psicóloga e fundadora do Clube do Optimismo, Maria do Carmo Oliveira, ensina-o a ver o copo meio cheio em vez de meio vazio. Siga este plano prático de 10 passos e torne-se mais otimista. Mas, antes de continuar a ler, lembre-se que a chave do otimismo está, acima de tudo, dentro de si! Estes são os 10 gestos a adotar no seu dia a dia:


1. Decida-se e comprometa-se
O primeiro passo é decidir, conscientemente, que quer ser mais otimista. Não basta pensar nisso de vez em quando. Assuma o compromisso na sua agenda, no seu diário ou no seu blogue, sem perder (mais) tempo. «A partir de hoje», recomenda Maria do Carmo Oliveira.

2. Seja firme na mudança
Não é fácil mudar de um dia para o outro. Normalmente acomodamo-nos a velhos hábitos que, embora possam ser prejudiciais, já nos acompanham desde sempre, pelo que é necessária persistência para substituí-los por novas atitudes mais positivas. Escreva o que quer mudar em concreto e não vacile.


3. Pense positivo
Substituir pensamentos negativos por pensamentos positivos é a regra essencial. Pense algo como «Eu vou conseguir», «Não há de ser grave» ou «Vai correr tudo bem». Diz a especialista que, «ao mudarmos, a qualidade dos nossos pensamentos, conseguiremos mudar a qualidade das nossas vidas», refere Maria do Carmo Oliveira.


4. Valorize o lado bom
Há sempre um lado positivo em tudo o que lhe acontece e é nessa perspetiva que deve enfrentar os seus problemas. «Ao mudar o foco da sua atenção para o lado positivo de cada situação, estará a desenvolver uma visão mais positiva da vida, o que contribuirá para gerar em si um maior bem-estar, aumentando a sua autoconfiança e a sua determinação para avançar rumo aos objetivos», afirma a especialista.


5. Entusiasme-se
A linguagem veicula sentimentos, e a verbalização dos aspectos negativos só os torna mais fortes. Não se queixe do frio, do trânsito, do stress. Não há qualquer utilidade nisso e só a fará sentir-se pior. Em vez disso, pense em formas de contornar o problema e sorria.


6. Rodeie-se de boas pessoas
Construa e mantenha relações pessoais gratificantes e dotadas de boa disposição com pessoas que tenham uma atitude optimista. Se não têm ajude-as a mudar. A especialista considera que «estas relações são fundamentais, principalmente nos momentos mais difíceis». Mantenha ainda uma forma de comunicação positiva. «Use uma linguagem alegre e entusiástica, incentive e valorize os outros mas seja também a sua própria fonte de motivação», recomenda a especialista.


7. Mexa-se
Diz a especialista que «fazer exercício físico contribui para melhorar o seu estado de ânimo e a sua energia, favorecendo o seu bem-estar geral». Por isso, não se acanhe. Caminhe, salte, corra, dance... Acima de tudo, divirta-se!


8. Você é quem manda
Você é o autor do seu próprio filme e não uma mero espetador. Defina metas e lute por alcançá-las. «Foque-se no que quer ter, em vez de se queixar do que não tem. Ao definirmos objetivos que nos entusiasmam sentimo-nos mais confiantes e desencadeamos acções que nos levam a alcançá-los», assegura Maria do Carmo Oliveira.

9. Faça rir os outros.
Desenvolva o seu sentido de humor e não tenha receio de dar uma boa gargalhada. Aprenda, também, a rir das coisas menos boas. «Sorria mais, ria mais, brinque mais e verá como se sentirá melhor consigo e com os outros», afiança a psicóloga.


10. Seja solidário 
Participe em ações de solidariedade ou de apoio voluntário a algum grupo ou população mais necessitada. «Ao contribuir para a felicidade dos outros estará a contribuir para a sua própria felicidade», garante Maria do Carmo Oliveira. Não fique, por isso, de fora. Ajude!


Texto: Ana Catarina Alberto com Maria do Carmo Oliveira (psicóloga, especialista em psicologia positiva e fundadora do Clube do Optimismo)


Retirado daqui

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Inteligência emocional no trabalho

10 sinais de que tem inteligência emocional no trabalho

Profissionais dotados de inteligência emocional estão à frente dos seus colegas - inclusive daqueles com o raciocínio mais afiado.

Segundo uma pesquisa da consultoria TalentSmart, o QE (Quociente Emocional) pode ser mais decisivo para o sucesso na carreira do que o famoso QI (Quociente de Inteligência).
O levantamento mostrou que cerca de 90% dos funcionários mais bem avaliados por seus empregadores têm uma boa gestão de suas emoções. Enquanto isso, apenas 20% dos profissionais com desempenho aquém do esperado apresentam a mesma habilidade.
ADVERTISEMENT
Não surpreende, portanto, que a competência seja fundamental para sobreviver à crise económica no Brasil, como explicou a EXAME.com o professor espanhol José Ramón Pin, da IESE Business School.
Mas como saber se você tem essa competência?
De acordo com o consultor norte-americano Travis Bradberry, co-autor do livro "Emotional intelligence 2.0" (Perseu Books, 2009), essa resposta só pode ser obtida cientificamente por meio de testes psicológicos - que raramente são gratuitos.
Para ajudar quem não pode (ou não quer) pagar por um teste, a Bradberry listou no LinkedIn alguns traços típicos de profissionais que sabem gerir os seus próprios sentimentos. Veja a seguir 10 deles:

1. Você sabe descrever suas emoções com palavras precisas
Ter um vasto “vocabulário emocional” é uma capacidade rara, segundo o consultor. Dizer apenas que está se sentindo “mal” é muito diferente de se descrever como “perplexo”, “frustrado” ou “ansioso”, por exemplo. Pessoas com inteligência emocional sabem gerir seus próprios sentimentos porque sabem exatamente quais são eles.

2. Você conhece o seu lado mais frágil
De acordo com Bradberry, saber quais são as suas principais vulnerabilidades é essencial na hora de administrar o seu comportamento. “Ter um QE [quociente emocional] alto significa conhecer as suas forças, e como usá-las a seu favor, mas também impedir que as suas fraquezas atrapalhem você”, escreve ele.

3. Você é um bom juiz
A habilidade para interpretar os sentimentos, intenções e motivações das outras pessoas é outro sinal típico desse tipo de inteligência. Se você tem um julgamento perspicaz e sensível a respeito dos demais, é provável que tenha um alto grau de competência emocional.

4. Você não se ofende facilmente
É difícil acabar com a alegria de quem tem autoconfiança. “Pessoas emocionalmente inteligentes são seguras e têm mente aberta, o que lhes garante uma 'pele' bastante grossa”, escreve o consultor. Isso significa relevar brincadeiras, críticas e agressões alheias - e até gozar de si mesmo de vez em quando.

5. Você é capaz de dizer “não”
Levar comentários negativos na desportiva não significa ser passivo. Ter competência emocional implica, também, saber colocar limites. Segundo Bradberry, rejeitar novas tarefas e compromissos de forma assertiva é difícil, mas traz ganhos importantes para a saúde física e mental.

6. Você perdoa a si mesmo
Quem tem domínio sobre o que sente costuma contemplar seus próprios fracassos de forma tranquila - mas não ignorá-los. “Remoer os seus erros traz ansiedade e timidez, enquanto esquecê-los completamente pode fazer com que se repitam”, escreve o consultor. É como uma “corda estreita”, observa Bradberry, em que só os mais competentes conseguem andar sem tropeçar.

7. Você não cultiva rancores
Assim como são capazes de perdoar seus próprios erros, pessoas com inteligência emocional também costumam “absolver” os outros. Mágoa e rancor são dois ingredientes para o estresse e até para doenças como pressão alta. Quem consegue dominar seus próprios sentimentos, naturalmente, prefere fugir desses gatilhos de mal-estar.

8. Você é generoso
Oferecer ajuda sem pedir nada em troca é uma característica típica de quem tem inteligência emocional, diz Bradberry. “Essas pessoas constroem relacionamentos fortes porque estão sempre pensando nos outros”, escreve ele. 

9. Você neutraliza pessoas “tóxicas”
Na hora de lidar com colegas ou chefes difíceis, o profissional com QE alto identifica seus próprios sentimentos, como frustração ou raiva, e impede que eles se transformem em descontrole. Além disso, ele procura respeitar o ponto de vista da pessoa “tóxica” e procura encontrar soluções positivas para as duas partes.

10. Você não busca a perfeição
“Pessoas com inteligência emocional não vêem a perfeição como um objetivo, porque sabem que ela não existe”, escreve Bradberry. Diante da inevitabilidade dos problemas, elas não se queixam sobre o passado e simplesmente seguem em frente.

E é ao ler estas coisas que percebo que tenho tanto, mas tanto para aprender!

Texto retirado daqui

 

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

O céu existe mesmo

Ontem foi dia de sessão caseira de cinema e eis que estava a dar no canal TVcine o filme 'O céu existe mesmo' e adorei vê-lo.
O nome era-me familiar, lembro-me de ouvir falar nele mas nunca tive curiosidade em o procurar para assistir e a verdade é que vê-lo assim sem contar soube ainda melhor. 
Gosto especialmente quando são filmes baseados em factos reais e este é um excelente caso disso. 


Dá muito que pensar. Primeiro porque é um tema que habitualmente não se fala, depois porque, mesmo que a maioria dos católicos gostem de acreditar que existe alguma coisa para além da vida, no momento em que são confrontados com isso, não sabem como reagir e questionam tudo.
Um filme ligeiro, que se vê bem e que nos transmite, pelo menos a mim, boas sensações.

Sobre as eleições...


...é só mesmo isto que me apetece dizer!

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Snapchat

Um dia destes em conversa com uma colega de curso ela estava-me a falar da filha de 12 anos e da forma como a tentava acompanhar e referiu uma aplicação chamada Snapchat. Já ouviram falar?! Pois eu não... Achamos nós que andamos a par das últimas novidades e qual quê, os adolescentes ultrapassam-nos com uma pinta do caneco. 
Pelos vistos o Facebook para eles já passou para segundo plano há muito. Agora o que está a dar é mesmo o Snapchat e o Instragram


E o que é o Snapchat?
É uma aplicação de mensagens com base de imagens criado por estudantes da Universidade de Stanford. Os utilizadores desta aplicação podem tirar fotos, gravar vídeos, adicionar textos e desenhos à imagem e a maior diferença está na possibilidade de escolher o tempo que a imagem ficará no visor do amigo da sua lista. O tempo de cada snap é de 1 a 10 segundos, e após aberto, a imagem ou vídeo somente poderá ser vista pelo tempo escolhido pelo remetente. A imagem é excluída do dispositivo e também dos servidores. É também possível adicionar filtros nas fotos, salvar as fotos tiradas no app no computador e anexar arquivos no chat dentro do Snapchat.

Ora portanto, é tudo cada vez mais instantâneo e rápido, permitindo partilhar determinadas coisas nem deixar rasto...Isto é capaz de ser preocupante, não sei, digo eu!


Obrigada!


A Rádio Comercial diz que hoje é o Dia Mundial da Gratidão. Coisa rara essa, lembramo-nos mais rápido de pedir do que de agradecer. 
A mim acontece-me frequentemente e de alguma forma inconsciente, agradecer quando me deito na minha caminha, pelo bem que me sabe e pelo sorte de ter um lar e uma cama quentinha onde me deitar. Não sei mesmo explicar porque o faço, mas acontece-me com alguma regularidade.
Tenho vindo a aperceber-me que com o tempo a passar vou ficando cada vez mais grata do que tenho, embora nem sempre seja como gostaria, mas de alguma forma tenho plena noção da quantidade de 'coisas' boas que me rodeiam. E por tudo isso, Obrigada!

Só por hoje, sou calma
Só por hoje, confio
Só por hoje, trabalho honestamente
Só por hoje, sou bondosa

E que assim sejam todos os dias...




sexta-feira, 18 de setembro de 2015

18 verdades cruéis sobre os relacionamentos modernos

É basicamente isto que se observa nos dias de hoje...

Ora confiram aqui e vejam se não é tal e qual!


A dissertação - nascimento #1

Chegou aquela rica altura em que devo escolher o tema da minha dissertação.
Lembro-me de diversas vezes ouvir ou pensar em determinada coisa e dizer para mim, 'isto dava um interessante tema para uma tese'. Acontece que nunca apontei as ditas ideias e cheguei à altura de definir um tema, sem tema nenhum!
Inconscientemente começo logo a stressar e a ficar ansiosa e agitada. Faz parte, sou mesmo assim.
Fiz pós e contras do que seria fazer algo na minha área de estudo e resolvi arrumar para canto.
Pensei noutras coisas que sei que me dariam algum gozo e guardei a ideia.
A diretora/coordenadora do meu curso envia, todos os anos, umas série de temas sugeridos por diferentes docentes para quem, como eu, se encontra a branco. E eis que surge um tema/título que vai totalmente de encontro ao que tinha em mente. Caramba, soube mesmo bem!
E pronto, assim nasceu o tema da minha dissertação!
Seja muito bem vinda e bem comportadinha de preferência sim?!



quarta-feira, 16 de setembro de 2015

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Coisas que me fazem bem

Ontem saí mais cedo do trabalho e saí com a ideia de ir dar uma caminhada mas quando cheguei a casa a minha mãe ainda não tinha chegado e como ela também gostar de ir, fiquei a aguardar por ela.
De forma a ocupar-me enquanto ela  não chegava fui para a cozinha e pôs-me a explorar.
Comecei por fazer um frango com caril para trazer para o almoço de hoje, pela primeira vez na minha vida! :) Ando há meses a pensar fazê-lo lá para casa, comprei os ingredientes necessários e tudo, mas não surgiu oportunidade. Então tirei uns bifinhos de frango e fiz como experiência só para mim. Fui corrigindo os temperos conforme ia fazendo e pelo menos de aspeto ficou interessante. :) E de sabor também (sim, porque já foi todinho). Embora que numa próxima irei experimentar de uma maneira diferente  para ver como fica. 
Experimentei também pela primeira vez gelatina com leite. Até porque se deixou de consumir leite lá em casa já há alguns meses, apenas o uso para os batidos na fase em que treino (coisa que só retomei agora de forma certinha). Acontece que quando fui a ver o leite a validade tinha terminado nesses dias...daí que a ideia da gelatina veio mesmo a calhar! E não é que ficou boa?!

E com isto para dizer que, soube-me bem...Soube-me muito bem passar aquele tempo todo na cozinha a experimentar receitas novas. Fiquei de tal maneira embrenhada naquilo que nem dei conta que já eram horas de jantar...e lá se foi a caminhada!


quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Assim sou eu



"Assim sou eu. Metade miúda rebelde e inconformada. Metade senhora que já sabe o que quer. 
Metade que brinca pela vida de cara lavada, que se diverte, que faz disparates e tropelias, que ri até não conseguir mais. Que quer colo até mais não. Metade crescida e responsável. Ajuizada, calma e ponderada. Sensata e confiável. De salto agulha, vestido e maquilhagem. Que te ouve até à exaustão.
As minhas metades não se separam. Fazem de mim aquilo que sou. Não estranhes se me confundires numa e noutra. Eu sou ambas. Depende daquilo que eu estou disposta a que conheças."


Rita Leston

terça-feira, 8 de setembro de 2015

Muita gente se perde


'Acontece que entre o ainda-não-é-hora e o nossa-hora-chegou, muita gente se perde. Não te percas, 'tá?'

(Caio F. Abreu)

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

É amor?


"Os amores perfeitos duram pouco. Os amores perfeitos são passageiros. Os eternos exigem dedicação. Exigem construção. Há que carregar muitas pedras às costas para construir um amor eterno.

Noventa por cento dos amores que morrem é por falta de dedicação. E os outros dez nunca sequer foram amores."

Por Pedro Chagas Freitas

A minha experiência pelos Passadiços do Paiva




Fui com a juventude conhecer os recentes e famosos Passadiços do Paiva. :)
Tem uma beleza natural extraordinária, só se ouve mesmo a água e os pássaros e pouco mais. Mas para esse sossego parece-me ser recomendável fazerem a visita num dia de semana, pois dizem que ao fim de semana é a verdadeira da romaria por aqueles lados, o que não permite usufruir devidamente deste sossego.
Tive também a sorte de não estar um dia de muito calor, o que ajudou. Ida e volta a pé custa um pouco, principalmente para quem não tiver habituado a estas andanças, mas faz-se bem. Começamos a caminhada às 9h30 e chegamos à outra ponta às 12h30, com paragens pelo meio para tirar fotos e essas coisas. No regresso demoramos cerca de 2h30, mais coisa menos coisa. Custou a recomeçar, mas depois de apanhar novamente o ritmo é sempre a andar.
A paisagem vale muito a pena! Gostei.

terça-feira, 1 de setembro de 2015

Saber ouvir



'Muitas vezes tudo o que basta para ajudar alguém é simplesmente ouvir, mas infelizmente não é fácil encontrar alguém que saiba ouvir a ajudar os outros.
Nesta curta-metragem de animação chamada “Garra Rufa”, o realizador Tony Tarantini pretende mostrar o poder de saber ouvir e conversar, apesar de não existirem diálogos no filme.
A banda sonora composta por Alex Liberatore é tudo o que basta para dar sentido às conversas, ilustrando os sentimentos provocados pelo poder da conversa.
Podemos também ver que às vezes as pessoas que ajudam os outros precisam dessa mesma ajuda, pois não conseguem resolver os seus próprios problemas com a mesma eficácia.
Uma história tocante, sobre o poder positivo que as palavras podem ter.'
Retirado daqui