sábado, 30 de maio de 2015

O amor está no ar...



"Com toda a loucura da minha alma. Com todo o querer do meu ser. Com toda a impossibilidade do mundo. Com toda a certeza da minha insanidade. Com toda a vontade intrínseca. Com todo o querer urgente. Com toda a calma da certeza. Com toda a dúvida da paixão. Com todos os sorrisos, lágrimas, beijos, abraços, mimos e más disposições.
Amo-te, com tudo. E qualquer coisa mais."
Por Rita Leston 




quinta-feira, 28 de maio de 2015

Desejo do dia #7














Os meus preferidos são o quarto rosa e a cozinha! Um formal descontraído! Adoro!

Imagens retiradas da página Achados de decoração 

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Ter mérito no trabalho

Ter mérito no trabalho conta muito pouco em Portugal


Estudo conclui que desempenhar um trabalho de forma competente tem muito pouca relevância nas promoções e na progressão profissional. Na prática, o mérito parece ser irrelevante em muitas empresas e no Estado.

Um estudo promovido pela Fundação Francisco Manuel dos Santos (FFMS) concluiu que a chamada meritocracia é um fator sem grande relevância na evolução profissional dos portugueses. Ou seja, o recrutamento e as promoções baseadas em critérios universais de qualificações e desempenho continuam a ser uma 'miragem'.

O estudo de mais de 350 páginas, a que a TSF teve acesso, foi feito por oito investigadores e tem por título "Valores, Qualidade Institucional e Desenvolvimento em Portugal". Foi avaliado, a fundo, o funcionamento de seis entidades: Autoridade Tributária; EDP; ASAE; CTT; Bolsa de Valores; e Hospital de Santa Maria.

Uma das coordenadoras do trabalho, Margarida Marques, sublinha que uma das conclusões a que chegaram é que as instituições portuguesas, em regra, "funcionam bem" e têm "qualidades muito evidentes" como a "abertura a novos procedimentos e novas tecnologias".
DR
Ter mérito no trabalho conta muito pouco em Portugal
Margarida Marques sublinha, contudo, que a maior falha é mesmo a "quase irrelevância do mérito", algo "estranho num país que pertence à União Europeia, moderno e virado para o futuro". A este nível, a EDP, a Bolsa de Valores e a Autoridade Tributária até ficam bem na fotografia, mas a ASAE, os CTT e o Hospital de Santa Maria recebem nota negativa.
A austeridade no Estado que congelou os recrutamentos, suspendeu os concursos públicos e travou as promoções são fatores relevantes nesta falta de importância do mérito, mas não são os únicos. Os investigadores defendem que "as preferências e conexões pessoais têm um papel fundamental em várias situações".
A falta de importância do mérito sai reforçada por um inquérito respondido por 1.346 funcionários das seis entidades estudadas. Apenas 16% acredita que, "se seguirem as regras e fizerem o seu trabalho de modo competente, as pessoas são promovidas". Uma percentagem que é maior na EDP e na Bolsa de Valores de Lisboa, mas que cai para 11,1% nos CTT e 0% (nenhuma resposta positiva) no Hospital de Santa Maria.
O estudo relata que nos CTT, por exemplo, antes da privatização, a "cor do governo", os "pequenos favores" e as "relações pessoais ou políticas" eram fatores importantes. Na ASAE muitas promoções também dependerão das "relações pessoais".
A situação mais problemática parece ser, contudo, o Hospital de Santa Maria, onde a meritocracia estará comprometida "pela presença de diretores influentes e praticamente inamovíveis", mas também pela "permeabilidade a lealdades ideológicas associadas a partidos políticos, lojas maçónicas e organizações católicas".
Por Nuno Guedes
Em tsf

quarta-feira, 20 de maio de 2015

Atitudes que nos tiram energia

Desespero
1 – Pensamentos obsessivos
Pensar gasta energia, e todos nós sabemos disso. Ficar remoendo um problema cansa mais do que um dia inteiro de trabalho físico. Quem não tem domínio sobre seus pensamentos – mal comum ao homem ocidental, torna-se escravo da mente e acaba gastando a energia que poderia ser convertida em atitudes concretas, além de alimentar ainda mais os conflitos. Não basta estar atento ao volume de pensamentos, é preciso prestar atenção à qualidade deles. Pensamentos positivos, éticos e elevados podem recarregar as energias, enquanto o pessimismo consome energia e atrai mais negatividade para nossas vidas.
2 – Sentimentos tóxicos
Choques emocionais e raiva intensa também esgotam as energias, assim como ressentimentos e mágoas nutridos durante anos seguidos. Não é à toa que muitas pessoas ficam estagnadas e não são prósperas. Isso acontece quando a energia que alimenta o prazer, o sucesso e a felicidade é gasta na manutenção de sentimentos negativos. Medo e culpa também gastam energia, e a ansiedade descompassa a vida. Por outro lado, os sentimentos positivos, como a amizade, o amor, a confiança, o desprendimento, a solidariedade, a auto-estima, a alegria e o bom-humor recarregam as energia e dão força para empreender nossos projetos e superar os obstáculos.
3 – Maus hábitos – Falta de cuidado com o corpo
Descanso, boa alimentação, hábitos saudáveis, exercícios físicos e o lazer são sempre colocados em segundo plano. A rotina corrida e a competitividade fazem com que haja negligência em relação a aspectos básicos para a manutenção da saúde energética.
4 – Fugir do presente
As energias são colocadas onde a atenção é focada. O homem tem a tendência de achar que no passado as coisas eram mais fáceis: “bons tempos aqueles!”, costumam dizer. Tanto os saudosistas, que se apegam às lembranças do passado, quanto aqueles que não conseguem esquecer os traumas, colocam suas energias no passado. Por outro lado, os sonhadores ou as pessoas que vivem esperando pelo futuro, depositando nele sua felicidade e realização, deixam pouca ou nenhuma energia no presente. E é apenas no presente que podemos construir nossas vidas.
5 – Falta de perdão
Perdoar significa soltar ressentimentos, mágoas e culpas. Libertar o que aconteceu e olhar para frente. Quanto mais perdoamos, menos bagagem interior carregamos, gastando menos energia ao alimentar as feridas do passado. Mais do que uma regra religiosa, o perdão é uma atitude inteligente daquele que busca viver bem e quer seus caminhos livres, abertos para a felicidade. Quem não sabe perdoar os outros e si mesmo, fica ”energeticamente obeso”, carregando fardos passados.
6 – Mentira pessoal
Todos mentem ao longo da vida, mas para sustentar as mentiras muita energia é gasta. Somos educados para desempenhar papéis e não para sermos nós mesmos: a mocinha boazinha, o machão, a vítima, a mãe extremosa, o corajoso, o pai enérgico, o mártir e o intelectual. Quando somos nós mesmos, a vida flui e tudo acontece com pouquíssimo esforço.
7 – Viver a vida do outro
Ninguém vive só e, por meio dos relacionamentos inter-pessoais, evoluímos e nos realizamos, mas é preciso ter noção de limites e saber amadurecer também nossa individualidade. Esse equilíbrio nos resguarda energeticamente e nos recarrega. Quem cuida da vida do outro, sofrendo seus problemas e interferindo mais do que é recomendável, acaba não tendo energia para construir sua própria vida. O único prémio, nesse caso, é a frustração.
8 – Bagunça e projetos inacabados
A bagunça afeta muito as pessoas, causando confusão mental e emocional. Um truque legal quando a vida anda confusa é arrumar a casa, os armários, gavetas, a bolsa e os documentos, além de fazer uma faxina no que está sujo. À medida em que ordenamos e limpamos os objetos, também colocamos em ordem nossa mente e coração. Pode não resolver o problema, mas dá alívio. Não terminar as tarefas é outro “escape” de energia. Todas as vezes que você vê, por exemplo, aquele trabalho que não concluiu, ele lhe “diz” inconscientemente: “você não me terminou! Você não me terminou!” Isso gasta uma energia tremenda. Ou você a termina ou livre-se dela e assuma que não vai concluir o trabalho. O importante é tomar uma atitude. O desenvolvimento do auto-conhecimento, da disciplina e da terminação farão com que você não invista em projetos que não serão concluídos e que apenas consumirão seu tempo e energia.
9 – Afastamento da natureza
A natureza, nossa maior fonte de alimento energético, também nos limpa das energias estáticas e desarmoniosas. O homem moderno, que habita e trabalha em locais muitas vezes doentios e desequilibrados, vê-se privado dessa fonte maravilhosa de energia. A competitividade, o individualismo e o stress das grandes cidades agravam esse quadro e favorecem o vampirismo energético, onde todos sugam e são sugados em suas energias vitais.
10. Preguiça, negligência
E falta de objetivos na vida. Esse item não requer muitas explicações: negligência com a sua vida denota também negligência com seus dons e potenciais e, principalmente, com sua energia vital. Aquilo do que você não cuida, alguém vem e leva embora. O resultado: mais preguiça, moleza, sono….
11. Fanatismo
Passa um ventinho: “Ai meu Deus!!!! Tem energia ruim aqui!!!” Alguém olha para você: “Oh! Céus, ela está morrendo de inveja de mim!!!” Enfim, tudo é espírito ruim, tudo é energia do mal, tudo é coisa do outro mundo. Essas pessoas fanáticas e sugestionáveis também adoram seguir “mestres e gurus” e depositar neles a responsabilidade por seu destino e felicidade. É fácil, fácil manipular gente assim e não só em termos de energia, mas também em relação à conta bancária!
12. Falta de aceitação
Pessoas revoltadas com a vida e consigo mesmas, que não aceitam suas vidas como elas são, que rejeitam e fazem pouco caso daquilo que têm. Esses indivíduos vivem em constante conflito e fora do seu eixo. E, por não valorizarem e não tomarem posse dos seus tesouros – porque todos nós temos dádivas – são facilmente ‘roubáveis’.
O importante é aprender a aceitar e agradecer tudo o que temos (não confundir com acomodação). Quando você agradece e aceita fica em estado vibracional tão positivo que a intuição e a criatividade são despertadas. Surgem, então, as possibilidades de transformar a vida para melhor!
Retirado daqui

terça-feira, 19 de maio de 2015

O São João já começou no Porto

No próximo sábado, dia 23, a Porto Lazer faz a abertura oficial da Festa de São João do Porto 2015, com uma longa jornada de eventos sob o mote "Bailes e Balões". A partir das 15h00, haverá bailes para todos os gostos, inaugurações de uma exposição e de um mural, um desfile de carros elétricos, espetáculos de dança e de novo circo, um mercado urbano e lançamento de balões, entre outras festas. Às 00h30, um concerto gratuito de Carlão, na Alameda das Fontaínhas, fechará em grande o arranque de seis semanas intensas de programação, com mais de 200 eventos.
Nas Fontainhas, epicentro do São João em 2015, o ex-Da Weasel vai apresentar o seu recente álbum a solo, "Quarenta".

Filosofia do snooze


"Eu faço snooze mas sou contra!" :D

Como eu compreendo a filosofia do snooze...Este, é cá dos meus!

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Sugestões para o fim de semana

 
O tempo começa a melhorar e com ela a tendência para programas diferentes. O Observador criou, e muito bem, um conjunto de sugestões de lazer e cultura para este fim de semana, estando dividido por zonas, Norte, Centro e Sul.

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Alimentos que podem causar bastante aumento de peso

Às vezes pensamos que o aumento de peso apenas está ligado à falta de exercício. Mas isso não é bem verdade. Na realidade existem alguns alimentos que são XXL quando se fala em capacidade de aumentar o teu peso. Mesmo até que faças exercício regular…
Tem bastante cuidado com estes 10, são MUITO agressivos no que toca a dar-te quilos a mais e formas demasiado arredondadas 
Nota: Apesar de estes alimentos serem XXL no que diz respeito a te aumentar o peso, não quer dizer que não os possas comer a todos… alguns deles podes e deves comer sim, mas não em exagero.

1. Frutos secos

Muitas calorias, muito açúcar e quase nenhuma água.

2. Nozes

3. Fritos

4. Manteiga e queijo

5. Milho e derivados

6. Cereais

Elimina a taça de cereais do teu pequeno-almoço se não queres ir ganhando uns quilos a mais.

7. Sumos de frutas (daqueles de pacote)

Têm praticamente tanto açúcar como os sumos com gás. Podem parecer mais inofensivos, mas no que diz respeito a engordarem-te, não são.

8. Carne vermelha

9. Comida sem glúten

10. Batatas

Tenta incluir alguns vegetais nas refeições com batatas, para que fiques saciada sem comeres tantas batatas.

Tem alturas em que me sinto mais inchada, sem ter comido nem feito nada que o provocasse (pensava eu). Mas lendo isto, e pensando bem, tenho no trabalho nozes e amêndoas que vou 'pegando' durante a tarde e se calhar ando a exagerar.
Retirado daqui

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Tua mulher...


'Não quero ser a mulher dos teus sonhos. Não quero ser algo que colocas num pedestal e admiras. A mais bela, sempre impecavelmente arranjada. Não quero ser escultural. Não quero ser quem te bajula e faz todas as vontades. Que só tem dias bons e sorrisos. Que nunca falha e é perfeita.
Quero ser a tua mulher real. Aquela com quem reclamas. E que reclama contigo. A que também acorda despenteada e com cara de poucos amigos. Povoada de imperfeições! Aquela que tem falhas e omissões, mas que sabe pedir desculpa. Aquela que contigo adormece e te deixa enroscar quando a cama está fria. A que te prepara um café pela manhã, antes de saíres de casa. A que te dá ó último quadrado de chocolate! A que espera por ti para jantar, nos dias longos em que chegas tarde. A que, pelo dia, te recorda que te ama. A que te acompanha. A que te desafia a chegar mais longe. A que precisa de um abraço especial num dia mau. A que dá colo às tuas birras.
Não quero ser a mulher dos teus sonhos: quero ser a tua mulher ideal. E real.'

Texto por Rita Leston

segunda-feira, 11 de maio de 2015

O teu olhar


Hoje fiquei 'colada' nesta...
Nossa, quanta intensidade...

Emoções e doenças

Faz-me sentido que assim seja. Antes disso, temos uma série de fatores como a genética, o histórico de família, a alimentação que fazemos, etc., que influenciam  a nossa saúde, mas o nosso estado de espírito e a nossa mente também são enormes responsáveis por aquilo que sentimos.

Em psicossomática, através de autoras memoráveis como Louise Hay, que nos diz que somos responsáveis por nosso corpo em por tudo que ocorre nele, nossos pensamentos, principalmente os mais negativos, como tristeza, raiva. medo, ódio, baixa auto-estima, rejeição, vontade de fugir (entre outros), em geral originam um estado de falta de perdão, consigo ou com o outro.

Esse estado desencadeia em nosso cérebro uma série de substâncias que acabam desestabilizando alguma parte do nosso corpo, gerando doenças, por vezes algumas bem graves.

foto2


O segredo para uma vida com melhor saúde é sempre, perdoar e saber que ninguém é perfeito, e valorizar-se muito, afinal se você não der valor a você, ninguém te valorizá-la. Ame seus defeitos, suas qualidades pensando sempre em melhorar seus pontos a desenvolver.

Cuidado com os sentimentos que vê que não são bons para você, perceba e veja o que pode mudar para não lhe fazer mal.

Segue uma tabela com algumas doenças e os sentimentos que as desencadeiam:


  • Amigdalite : Emoções reprimidas, criatividade sufocada.
  • Anorexia: Ódio ao extremo de si mesmo.
  • Apendicite: Medo da vida. Bloqueio do fluxo do que é bom.
  • Arteriosclerose: Resistência. Recusa em ver o bem.
  • Asma: Sentimento contido, choro reprimido.
  • Bronquite: Ambiente familiar “inflamado”, Gritos e discussões.
  • Câncer: Mágoa profunda, tristezas mantidas por muito tempo.
  • Colesterol: medo de aceitar alegria.
  • Derrame: Resistência. Rejeição a vida.
  • Diabetes: Tristeza profunda ( vida sem docura).
  • Diarréia: Medo, rejeição, fuga (eliminar de dentro o que está ruim).
  • Dor de cabeça: Autocrítica, falta de auto valorização.
  • Enxaqueca: Medos sexuais. Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
  • Fibromas: Alimentar mágoas causadas pelo parceiro.
  • Frigidez: Medo. Negação do prazer.
  • Gastrite: Incerteza profunda. Sensação de condenação, idéias mal digeridas.
  • Hemorróidas: Medo de prazos determinados. Raiva reprimida. Pessoa perfeccionista.
  • Hepatite: Raiva, ódio. Resistência a mudanças.
  • Insônia: Medo, culpa.
  • Labirintite: Medo de não estar no controle.
  • Meningite: Tumulto interior. Falta de apoio.
  • Nódulo: Ressentimento, frustração. Ego ferido.
  • Pele (acne): Individualidade ameaçada. Não aceitar a si mesmo.
  • Pneumonia: Desespero. Cansaço da vida.
  • Pressão Alta: Problema emocionalmente duradouro e não resolvido.
  • Prisão de Ventre: Preso ao passado. Medo de não ter dinheiro suficiente.
  • Pulmões: Medo de absorver a vida.
  • Quistos: Alimentar mágoa. Falsa evolução.
  • Resfriados: Confusão mental, desordem, mágoas.
  • Reumatismo: Sentir-se vítima. Falta de amor. Amargura.
  • Rinite Alérgica: Congestão emocional. Culpa. Crença em perseguissão.
  • Rins: Crítica, desapontamento, fracasso.
  • Ronco: Teimosia, apego ao passado.
  • Sinusite: Irritação com pessoas próximas.
  • Tireóide: Humilhação.
  • Úlceras: Medo. Crença de não ser bom o bastante.
  • Varizes: Desencorajamento. Sentir-se sobrecarregado.


Já tinham pensado nisto?

Adaptado do texto disponível aqui

sábado, 9 de maio de 2015

Quem conhece?

Quem conhece a Beatriz Gosta? Tem sido um fenómeno, já foi entrevistada para não sei quantos programas, jornais e revistas! Oh pah, acho o máximo o sentido de humor da rapariga e a forma como ela aborda os temas...Basicamente faz-me rir e isso basta! E depois, é do Porto, o que ajuda! 
Recomendo!


Página do Facebook
Canal no Youtube

quinta-feira, 7 de maio de 2015

Desejo do dia #6









Adoro decoração, adoro sonhar que tenho algo assim e imaginar-me a viver e usufruir delas!
E as cozinhas para mim são essenciais porque, principalmente nós mulheres, passamos imenso tempo nelas e assim sendo, que seja o mais confortável possível. :)

Ver mais aqui

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Como posso ser assim...


É uma boa questão esta. Como é que se consegue ser feliz e triste ao mesmo tempo? Como é que se altera isso (se é que é suposto)? Imagino as pessoas felizes, constantemente alegres e de bem com a vida, parece-me que isso seria o normal de acontecer...ou não?

Imagem retirada do livro, 'As vantagens de ser invisível' .

Quando pensares em desistir...


Retirado daqui

terça-feira, 5 de maio de 2015

Mau jornalismo...




Ver também o dito do blogue.


'A história do professor universitário mais odiado em Portugal'
É verdade que ele se pôs a jeito, mas não deixo de ficar parva com o mau jornalismo que existe no nosso país... Como é que é possível uma notícia destas ser usada como capa? 

Nem vou comentar, tirem as vossas próprias conclusões...