quinta-feira, 30 de junho de 2011

Gostava tanto...

 ...de gostar de correr!
Mas é que gostava mesmo! Amava de paixão!
E assim sendo estou tentada a tentar apaixonar-me por ela...
Era eu apaixonar-me de vez e andar por ai feita maluca pelas ruas deste meu Porto em corrida!
Era coisa digna de se ver...

Just enjoy...

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Pensamento do dia

O que por vezes nos parece um grande erro hoje, 
amanhã pode ser uma grande oportunidade!

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Intimidade

"Se há coisa que sei sobre a intimidade é que há determinadas leis naturais que governam a experiência sexual de duas pessoas e que essas leis não podem ser alteradas, da mesma forma que a gravidade não pode ser negociada. Sentirmo-nos fisicamente confortáveis com o corpo de outra pessoa não é uma decisão que possamos tomar. Pouco tem a ver com a forma como duas pessoas pensam, agem, falam, ou mesmo com o aspecto que têm. Ou esse íman misterioso está escondido algures nas profundezas da parte de trás do esterno ou não está. Quando não está (...), não é possível forçar a sua existência, da mesma forma que um cirurgião não pode forçar o corpo de um doente a aceitar um rim do dador errado."

Por Elizabeth Gilbert
Em Comer, Orar e Amar

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Com um pé quase lá...

...em Barcelona!
É já nesta noite, num Aeroporto Sá Carneiro perto de si! :)
Vai ser muito bom...
Em breve darei notícias!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Tem dias assim...


Tem alturas em que pouco é preciso para nos fazerem sentir melhor...
Basta um abraço bem apertado de alguém que nos é especial! Basta somente uma companhia, e mesmo que as palavras não saíam, que esteja só ali do nosso lado, nem que seja só para chorar no seu ombro.
Porque nestes dias o que procuramos é sentirmo-nos amados, é sentirmos que independentemente de como nos sentimos e de como nesse momento vemos as coisas, sabermos que temos alguém do nosso lado que nos quer bem incondicionalmente. Saber isso com certeza que vai sempre ajudar...
Tenho dias em que preciso disso...tenho dias em que me chega a faltar o ar, em que nada bate certo, em que tudo me dói...em que preciso libertar a minha alma...tenho dias assim!

O conceito de Don Juan dos nossos dias...

"O “complexo de Don Juan” que pegou essa geração de jeito parece consistir numa competição que exalta a quantidade, ao invés de priorizar a qualidade. Os corredores dessa maratona sem sentido esquecem-se que, no fim das contas, tornam-se apenas números em caderninhos alheios e conversas de botequim. Talvez nunca tenham flertado com a ideia de ser o motivo de suspiros alheios, de sonhos e devaneios, de poesias e cartas apaixonadas. Parecem preferir ser uma pequena anotação ao invés de um capítulo… E acabam deixando de passar por situações que são indescritíveis, inerentes apenas a quem já teve o prazer de vivenciá-las.
É preciso bagagem para poder ficar entrelaçando os pés entre os lençóis depois de horas entrelaçando o resto do corpo, e arrumar assunto ao invés de virar para o lado e dormir. É preciso história para poder fazer outra coisa no domingo de tarde que não seja assistir o Faustão ou ir ao cinema. É preciso saber se ela prefere Neruda ou Pessoa na hora de sussurrar uma poesia. É preciso querer conhecer, todo dia, mais um pouco dessa pessoa… Mesmo sabendo que, no fim das contas, você nunca irá conhecê-la 100%. A inocência que o amor traz é, também, o combustível desse sentimento imortal.

Eu sempre acreditei - e credito isso ao meu conservadorismo - que vale mais fazer uma mulher sorrir verdadeiramente do que arrancar um meio-sorriso forçado de um milhão de mulheres. Que é melhor aprender, noite após noite, a fazer uma mulher atingir o máximo de seu prazer, do que passar cada noite em uma cama diferente, apenas para “colecionar histórias”. Que vale mais a pena descobrir cada manhã uma mulher diferente no mesmo par de olhos do que descobrir, em diversos pares de olhos, as mesmas mulheres vazias. "


Lucas Baranyi

quarta-feira, 8 de junho de 2011

...pensamentos em palavras...

 
Há dias em que penso que passar para palavras os pensamentos que tenho é o que os torna reais...

terça-feira, 7 de junho de 2011

Os meus 'sinais'...

Sou uma rapariga dada a sinais, sempre o fui! Há determinados gestos e reacções que podem nada ou pouco significar que a mim me dizem muito!
Certo ou errado, a questão é que, no que se refere àqueles que me rodeiam, já consegui antever através desses sinais situações que mais ninguém diria que iriam acontecer!
Já no que se refere a mim nem sempre sou tão boa a interpretá-los. Consigo vê-los bem, mas decifrá-los é que nem tanto assim...
Talvez por me dizerem respeito a mim, talvez porque a maior parte deles são negativos e não quero acreditar que sejam verdade, não sei!
Ultimamente passei a guardá-los a todos eles para mim. Melhor assim! Vejo-os, tento-os analisar, não gosto, elimino! Pronto, chega assim!
E isto tudo porque alguns deles me têm incomodado de tal maneira que me conseguer chegar a fazer sentir uma parva (...ou não, enfim!).

Sinto-me extremamente cansada...tenho vontade (e necessidade) de desaparecer por uns tempos e depois, quando voltasse, estar mentalizada a apenas deixar seguir, sem pensamentos, sem sinais, sem nada...e o que tiver que ser será! Se pensar, que seja em mim e para mim! Boa?! Booooooaaaaaaa....

Uma biblioteca bem original...


Era uma destas lá para casa faxabor...

segunda-feira, 6 de junho de 2011

É tão fácil...

"Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião.

Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e reflectir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem para fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "Olá" ou "Tudo bem?"
Difícil é dizer "Adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente eléctrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e entregar-se, e aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando as nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exacta das nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na agenda telefónica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata."



Autoria: Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Coisas que gosto...


Um dia, uma casa minha terá um pormenor destes, uma frase, um dito, algo que tenha significado para mim...

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Aqui está uma excelente suposição!

"Suponho que me entender não é uma questão de inteligência 
e sim de sentir, de entrar em contato...
Ou toca, ou não toca."

Clarice Lispector