sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Em Dia Mundial da Poupança…ideias para poupar tempo e paciência

1. Deite fora a ideia de que tem que chegar a tudo e todos. Estabeleça uma lista de prioridades, em lugar de se deixar afogar nesse mar de culpas.
2. Sacuda o medo do conflito. Vá directo ao assunto, sejam quem for o interlocutor. Diga o que pensa e resolva depressa o assunto e poupa as úlceras.
3. Durma muito e sem remorsos. Leia o livro da especialista do sono Teresa Paiva, e confirme que dormir é ganhar tempo, porque sem o sono em dia o seu cérebro não dá uma para a caixa.
4. Não ature pessoas que não lhe dizem nada. A vida é demasiado curta para isso.
5. Coma menos, mas o que lhe dá prazer, porque senão vai acabar por comer o que lhe dá prazer e o que não dá…
6. Faça exercício porque um metabolismo alto afasta o frio.
7. Relativize tudo. Numa perspectiva cósmica que importa esta crise? E se as crises são inevitáveis então esta já está aviada, e podemos preparar-nos para a prosperidade que se lhe segue.


Ideias para poupar tempo e paciência / Isabel Stilwell. In: Destak. Edição 1023. Ano 7 (sexta-feira, 31 de Outubro de 2008)

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Acreditar...


Não quero soluções, quero a ambição, a força.

Não quero planos, quero concretizações.

Não quero hipócrisia, quero a naturalidade em cada palavra e a cada gesto!

Não quero mágoas, quero crescer mesmo com as desilusões.


Não quero mais do que acreditar…

Acreditar nas pessoas, acreditar na inocência, acreditar na bondade…

Acreditar que ainda é possível confiar, acreditar que nem tudo está perdido.

Acreditar que os nossos valores ainda têm grandeza e que valem a pena manter.


Para além de tudo, quero continuar a acreditar…

Acredito por mim e pelos que o merecem (mesmo que possam não o merecer).

Acredito por consciência e pela cabeça erguida que quero manter.

Acredito porque, acima de tudo, não sei viver sem acreditar.


U2 - Sometimes you can't make it on your own

terça-feira, 16 de setembro de 2008

O nosso pior inimigo somos nós próprios…

Na vida nada é mais difícil do que te conheceres a ti próprio. E de uma coisa podemos estar certos, o reflexo do que somos estará presente em todos os nossos actos…E quando erramos, será que isso faz de nós más pessoas?! Ou não fará isso parte da construção do nosso carácter?!

Gosto de pensar que a vida apenas nos retribui o que lhe damos, por isso tento sempre dar-lhe o meu melhor, dar da mesma forma que eu gostaria de receber…

Mas se já é difícil reconhecermo-nos a nós nos nossos actos em determinados momentos será que chegamos algum dia a conhecer, verdadeiramente, alguém?!

É assustar pensar assim, mas é a realidade…

No fundo nós somos o nosso maior inimigo…medos, angústias, desilusões, inseguranças, etc., etc. Nós e o nosso péssimo hábito de complicar tudo e mais alguma coisa, procurando a perfeição quando sabemos à partida que não existe, querendo sempre mais sem nos contentarmos com o que temos…perdendo assim de usufruir de “pequenos” prazeres da vida que têm o poder de nos fazer tão felizes…

A vida nem sempre segue no rumo que escolhemos, ou pelo menos que idealizamos… Apercebi-me cedo que não somos nós que o controlamos e que bem ou mal, há que seguir o trajecto que é traçado arcando com as consequências se necessário… Sem demasiados planos e com a certeza que amanhã tudo poderá ser diferente, é assim que se tenta viver cada dia…

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

E sem procurar...

Não procurava nada
Até tu teres chegado de mansinho
E ficaste…
O teu olhar expressivo
A tua forma de estar
O que me transmites
O bem que me fazes…
Não faço planos, nem quero…
Enquanto estiver bem, é aqui que estarei…
Contigo…
Não há pressas, nem complicações,
Vamos antes aproveitar o momento!
E isso basta-me…

sábado, 6 de setembro de 2008

Pretextos para fugir do real - o poema

A uma luz perigosa como água
De sonho e assalto
Subindo ao teu corpo real
Recordo-te
E és a mesma
Ternura quase impossível
De suportar
Por isso fecho os olhos
(O amor faz-me recuperar incessantemente o poder da
provocação. É assim que te faço arder triunfalmente
onde e quando quero. Basta-me fechar os olhos)
Por isso fecho os olhos
E convido a noite para a minha cama
Convido-a a tornar-se tocante
Familiar concreta
Como um corpo decifrado de mulher
E sob a forma desejada
A noite deita-se comigo
E é a tua ausência
Nua nos meus braços


Experimento um grito
Contra o teu silêncio
Experimento um silêncio
Entro e saio
De mãos pálidas nos bolsos



Alexandre O´Neill
Poesias Completas 1951/1981
Biblioteca de Autores Portugueses

quinta-feira, 10 de abril de 2008

Querer...

Nada é eterno, nada dura para sempre.

A dúvida é constante e em tudo se diz ser uma questão de tempo.

Talvez seja, talvez não...

Talvez a certeza seja algo que se sente logo há partida, como um “click” que nos diz: “és tu a/o tal”.

Dúvidas?! Essas existem sempre... A vida é uma incerteza, mas o querer, o querer diz tudo, o querer pode fazer toda a diferença.

Não vale a pena ser forçado, não vale a pena haver luta, quando não se sente, quando não se quer.

É preciso um querer que dê certo, um querer que dure para sempre, mesmo não acreditando na eternidade. Ultrapassar barreiras, sobreviver a todos os obstáculos, querer sempre mais, querer ter tudo.

Sim, porque gostar é fácil, é fácil apaixonarmo-nos por alguém, pela sua beleza, pela sua personalidade, por um dia, por umas semanas, por uns tempos...E o querer para a vida?!

Não será então a isso a que chamam de amor?! Quando se quer para a vida?! Quando se sente que se é capaz de viver assim para sempre?!

Talvez seja isso mesmo, talvez essa seja a grande diferença... o tal “click” que nos diz que “é desta” e o querer que resulte é de tal forma que se segue em frente sem sequer olhar para trás e dá-se tudo o que se tem...

Talvez seja isso...o querer!

terça-feira, 18 de março de 2008

A dor do silêncio...

Há silêncios preciosos, há silêncios obrigatórios e há também silêncios que chegam a causar mágoa...
Porque há pensamentos que precisam ser ditos, há contactos que precisam ser mantidos e sentimentos que não podem ficar por dizer. Há certezas que se têm que encontrar...
A dor do silêncio...
Nada parece fazer sentido...
Mas antes de tudo, o que importa mesmo, é sermos verdadeiros connosco... Definir sentimentos, vontades, objectivos. Definir como vais querer viver a tua vida, se vais continuar a optar pelas decisões mais fáceis ou se vais querer arriscar, seja para o bem ou para o mal... Mas arriscar quando isso parece ser o mais correcto, o mais justo contigo e mesmo com os outros e que sentes que será o que te irá fazer feliz. Pode ser por breves momentos ou pode até durar para sempre... Mas demore o tempo que demorar, só por isso, vai valer a pena...
A dor do silêncio...
Quando se quer falar, mas o medo de arriscar é maior...ai chega a dor...



sexta-feira, 14 de março de 2008

...momentos...

O corpo está rígido. O coração apertado. No peito um aperto, na barriga um “formigueiro”.

Nada à volta parece estar no sítio certo e na verdade nem se chega a perceber onde se está e o que se tem a fazer!

Não há reacção, o raciocínio não é claro, as palavras certas teimam em não sair...

E disfarça-se... Tenta-se abstrair de tudo e sorrir...Afinal, os outros não sabem, nem têm que saber...

Mas por dentro...perturbante...

Angústia, mágoa, dor, incerteza, tristeza, dúvida, desilusão...

E é neste momento que a solidão chega, porque é dela que se precisa, porque é ela...que eu quero...


One song...

“You’re gone”

segunda-feira, 10 de março de 2008

Tento saber...

Cada vez mais considero a paciência uma sabedoria, uma vantagem, um dom...

Na generalidade, e segundo o que me parece, a paciência é algo que vai amadurecendo ao longo da vida. Talvez seja assim...

Nem sempre é fácil aguardar por algo que ansiamos, seja o que for. Umas férias, um contacto, um gesto, um telefonema, uma oportunidade ou simplesmente o aguardar da coragem necessária para fazer determinada coisa ou tomar certa atitude.

Saber esperar pelo momento “certo” para falar, saber analisar cada situação e ter noção que aquela não é a ocasião para dizer o que quer que seja...mas com paciência esse momento chegará.

Saber calar quando o que nos apetece é explodir, saber ouvir quando se calhar nós é que precisamos de falar...

Ter paciência com os que nos rodeiam, pois também nós em algum dia iremos precisar dela. Pois a vida dá muitas voltas, nunca sabemos de quem e do que iremos precisar...

O que eu tento, com paciência, é saber...

quinta-feira, 6 de março de 2008

Vence...

Acorda em cada dia com a certeza que hoje vives,

E brinda-o sempre com um sorriso.

Faz o que tiveres que fazer,

Levanta-te, corre, grita, chora, abraça, contraria, resmunga, reclama, participa...

Mas vive e vence.

Os que se tornam grandes mestres, os bons líderes são os grandes servidores. E os vencedores são aqueles que mantêm sempre a mesma garra de viver, quem tem ambições, quem quer sempre mais, quem procura o melhor.

Aceita a luta e batalha.

Acredita que tudo o que requer esforço, tem um gosto acrescido.

E tu não vais querer perder nenhum golpe, nenhuma oportunidade.

Porque ai pode estar a diferença...

E a diferença podes fazer tu, cada um de nós...em cada dia...

Faz com que a tua presença seja notada,

Faz com que no fim, tudo te saiba a vitória e te orgulhes disso.


It's never "Good Enough"...



quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Promessas de vida...


Amor eterno, amizade verdadeira, presença constante, lembranças que jamais se esquecerão...

Palavras soltas em momentos únicos, de felicidade, de prazer...

Palavras lançadas sem certezas de serem cumpridas.

Demonstração de sentimentos em momentos de necessidade, de insegurança, de vacilo, de incerteza...

Dor causada por insconsciência, por egoísmo.

Demasiados sentimentos controversos em momentos de dúvida...

Demasiada reflexão no que já foi, quando o que importa ainda está para vir...


“O nosso espírito tem uma irresistível tendência para considerar como mais clara a ideia que mais frequentemente lhe serve.”


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Perdida em palavras…

Perdida em sentimentos, em nostalgia, em saudade…

Em querer não sei bem o quê.

Em tentar alcançar o inalcançável.

Em querer mais do que se pode ter, em sentir mais do que se deve...

Querer encontrar certezas, equilíbrio, tranquilidade e não fazer do que é difícil no impossível!

Querer sempre mais, querer ter tudo.

Ter consciência que a felicidade é o trajecto que decidimos percorrer e não apenas o destino que queremos alcançar...


A minha escolha para hoje...


sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Não te conheço...

Não conheço a tua expressão ao acordar, não conheço as tuas vontades, nem mesmo os teus gostos mais profundos.

É estranho…mesmo podendo considerar-me próxima sinto que não te conheço.

Não sei qual é o teu último pensamento antes de adormeceres, não conheço o que provoca em ti a maior das gargantas ou mesmo um simples e sincero sorriso, ainda não consigo perceber o que realmente te perturba, o que te deprime…

Tentar acertar no que te agrada e sentir que falhei. Tentar dar o melhor de mim e ter a certeza que não é o suficiente.

Tentar aproximar-me quando não me queres perto, querer estar longe quando me queres contigo.

Querer conhecer-te mais, querer perceber o que diz realmente o teu olhar, tentar reconhecer o que sempre achei conhecer de ti…

Talvez nunca se chegue a conhecer realmente alguém. Talvez “amar” seja isso mesmo, um conhecimento e partilha que é constante ao longo de toda a vida. Talvez seja esse mesmo o prazer, tentar encontrar sempre algo de novo, conhecer sempre mais um pouco, ter sempre mais uma surpresa para dar e receber…

Por outro lado talvez isso nos traga algum desconforto, pois as surpresas podem nem sempre ser as que esperavamos…

Por isso desisti…Porque por vezes, também eu sinto que não me conheço…

Quanto a ti, conhecer-me só de ti depende e da tua vontade.

Sabes onde me encontrar, estarei sempre aqui…



quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Coragem

“Coragem é a resistência ao medo, o domínio do medo e não a sua ausência”
Coragem para dizer o que é necessário no momento certo.
Coragem para enfrentar todos os desafios com a mesma garra e vontade de vencer.
Coragem de dizer “basta”, não é isto que quero, não é isto que me faz feliz.
Coragem para reconhecer que queres mais e mais, mesmo quando o que tens já te parece ser o “suficiente”, mas sabendo que consegues mais, não te acomodas e com coragem, segues mais em frente!
Coragem para transmitir o que sentes mesmo quando te parece impróprio, mesmo quando sabes que não será correspondido. Poderás magoar-te se o fizeres, mas não irás sofrer ainda mais se não o tiveres tentado? Até podes não acertar, mas quem sabe se não é essa coragem que irá fazer toda a diferença?
Tal como se costuma dizer “Ainda pior que a convicção do não é a incerteza do talvez, é a desilusão de um “quase”.
Coragem de arriscar mesmo quando todos te dizem para não o fazeres. Coragem de esquecer tudo o resto e apenas pensar na tua felicidade.
Coragem para cometer “loucuras” que te fazem ter momentos de verdadeira felicidade.
Coragem para seres tu próprio em todo e qualquer momento, revelando o melhor de ti e o pior se for necessário.
Coragem...de ter coragem para simplesmente VIVER e acreditar que tudo é possível, basta querer.

A vida não pára...

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Um olhar...



Através de um olhar consegue-se transmitir "coisas" que não conseguimos expressar por palavras…(se calhar porque também não o queremos)!

Gosto de pessoas que conseguem transmitir exactamente o que sentem através do olhar. Sem truques, nem manhas… Mesmo quando tentam a toda a força esconder o que sentem, por vezes no olhar tudo se torna transparente! Gosto de apreciar isso!

E quando se conhece realmente alguém nada mais é preciso…

Gosto de pessoas que por muitas dificuldades que passem na vida conseguem sempre manter um sorriso nos lábios e ter sempre uma palavra de conforto para quem as rodeia! Admirável!

Pessoas que erram e não têm problema em admiti-lo, caem e se levantam sabendo tirar a lição de cada momento.

Gosto de quem defende as suas ideias, gostos e vontades sem se deixar influenciar pelas opiniões dos demais. Mas ter personalidade sim (aliás, por favor), mas de preferência não em demasia. A moderação é uma palavra muito bonita em tudo na vida e muitas das vezes é completamente esquecida…

Gosto de pessoas que fazem o que têm a fazer e mesmo assim conseguem ter sempre disponibilidade para os outros.

Gosto de quem transpira humildade, reparte alegria, vive sinceridade. Gosto de quem tem amor à vida e nada o intimida por muito impossível que pareça. Pode até não conseguir, mas tenta sempre…

Gosto de quem consegue manter a sua liberdade num meio que é feito cada vez mais de dependências.

No meio de toda a realidade, resta-nos mantermo-nos sonhadores toda a vida e fazer de tudo, para que um dia se torne mesmo real!

Pois a vida não passa disso mesmo, da vivência de pequenos momentos de sonho…

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Um domingo...

“Não importa o que tens na vida, mas sim quem tens na vida…”

Estou em casa, no meu sofá onde tenho o luxo de observar no céu a construção das cores pelo pôr-do-sol através da janela…Depois de um domingo "virado" para a família (sim, vou falar só das coisas boas que fiz) sinto-me completamente relaxada…Um simples e demorado almoço em família, com conversas informais que mesmo durante a semana nunca se conseguem ter. Brincar com o cão e aperceber-me que já não o fazia há tanto tempo que nem me lembro onde estão os brinquedos dele…e sentir pena por isso. Falar com os meus pais enquanto vêem e/ou falam de alguma coisa que pretendem fazer ou que já fizeram e aperceber-me no olhar deles de como estão orgulhosos por tudo o que têm conseguido fazer pela vida fora. E também eu sinto isso e reparo no pouco tempo que lhes dedico. O tempo escasseia para tudo. E quando sobra algum nem sempre o dedicamos ao que realmente é importante. Pois ninguém nem nada é eterno e há pequenos momentos que se guardam para sempre…
Espero eu na idade deles poder sentir o mesmo orgulho. Olhar para trás e ficar orgulhosa por tudo o que fiz.
E é isso mesmo que desejo a todos…Uma vida cheia de sucessos, digna de orgulho por todos aqueles que nos rodeiam e nos querem bem. De tal forma que aquelas vizinhos “ranhosos” nos olhem com desdém e façam aquele sorrisinho cínico que tanto gozo me dá e ainda nos brindam com aqueles comentários tipo “então a vidinha corre-lhe bem?” Ai a inveja que é um sentimento tão feio… :)
A todos uma excelente semana…

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Solidão

Solidão: um bom lugar para visitar uma vez por outra, mas mau para se adoptar como morada”

Eu gosto das minhas “visitas à solidão”. Por vezes, em momentos menos felizes a solidão aliada ao silêncio dão-nos a liberdade que precisamos e permitem-nos ter momentos de verdadeira tranquilidade…

Adoro ter o “meu momento”, aquele espaço de tempo dedicado inteiramente a mim, seja para o que for! Preciso disso.

É fantástico andar na rua, no meio da multidão e estarmos de tal forma envolvidos nos nossos pensamentos que perdemos noção da hora e do espaço. Observar tudo em nosso redor e presenciar as mais hilariantes situações e quando damos por nós estamos a reparar em todos os pormenores, a rirmo-nos das expressões dos outros e a tentar adivinhar qual será o seu pensamento naquele momento. Pensar que naquele momento, o tempo parou e tudo está tal como deveria estar, simplesmente perfeito…e eu acabei de chegar ao meu destino mesmo sem ter dado conta…maravilhoso.

Pequenos momentos que nos permitem recolhermo-nos a nós próprios e apenas observar o melhor que o mundo nos tem para oferecer. Tentar, no meio de todo o ruído que se vive na cidade, ouvir a Natureza na sua mais linda forma de expressão…a correria do vento, o bater das ondas do mar, a queda da chuva…

Na troca da solidão, só mesmo o prazer de uma bela companhia…

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

O mais bonito dos sentimentos...

"A amizade não se força, mas tem uma força que se intensifica a cada instante..."

Acho que esta frase traduz em muito o que é a amizade. Em que pequenos gestos nos dizem muito, simples palavras no momento certo, uma troca de olhares em que se percebe tudo…ou simplesmente o silêncio quando sabemos que é o necessário.

Não é precisa uma presença constante, na verdade há amigos de longas datas, que pelas circunstâncias da vida se tornam “distantes” mas que sabemos estarem sempre presentes. E essa sensação acho-a fantástica.

Gosto realmente deste sentimento…Mas confesso que nem sempre me fez feliz. Já me senti traída, já dei demais sem receber nada em troca, já pensei conhecer tudo e afinal, não era nada. Se calhar, é isso mesmo a amizade. Dar sem receber nada em troca, gostar sem esperar que gostem…Será mesmo? Não me parece…aliás, não me parece que nenhum sentimento se construa e se consiga manter assim. Por muito bonito que seja dizer: dá sempre o que tens sem esperares nada em troca. Não. Nós, seres humanos, somos egoístas por excelência, somos carentes, mimados. Alguns mais do que outros é certo, mas esta parece-me ser a realidade.

Confesso que tenho um certo receio em “dar” tudo o que tenho… muitas vezes correndo o risco de ser mal interpretada (como já aconteceu)… Acho que consigo com certa facilidade por as pessoas à vontade para me mostrarem como realmente são e me falarem dos seus sentimentos (fico MUITO feliz por isso)…Mas quando chega a minha vez…nem sempre sai, nem sempre encontro as palavras correctas. Mas não é por não confiar ou até por nem querer ou precisar de falar…sou mesmo assim. Mas lá está, essa troca, essa partilha é necessária para que ambas as partes se sintam bem. É normal, é assim que funciona!

Hoje, escrevo sobre o mais bonito dos sentimentos…a amizade.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008

O meu novo espaço...

Pois bem, apresento-vos o meu novo “espaço”.

Esta ideia, ou antes vontade, surge pelo interesse de explorar a criação e consequente manutenção de uma das mais recentes invenções da Internet – os blogues!

Tentar, também eu, ter uma participação mais activa, passando de mera utilizadora a produtora/divulgadora de informação.

Tenciono falar de diversos temas, esperando conseguir algum feedback da vossa parte, chegando (espero eu) a criar alguma discussão (saudável). Por isso comentem, sugiram, reclamem...eu tentarei corresponder mantendo-o o mais actualizado possível.

Espero que gostem…