Não te conheço...

Não conheço a tua expressão ao acordar, não conheço as tuas vontades, nem mesmo os teus gostos mais profundos.

É estranho…mesmo podendo considerar-me próxima sinto que não te conheço.

Não sei qual é o teu último pensamento antes de adormeceres, não conheço o que provoca em ti a maior das gargantas ou mesmo um simples e sincero sorriso, ainda não consigo perceber o que realmente te perturba, o que te deprime…

Tentar acertar no que te agrada e sentir que falhei. Tentar dar o melhor de mim e ter a certeza que não é o suficiente.

Tentar aproximar-me quando não me queres perto, querer estar longe quando me queres contigo.

Querer conhecer-te mais, querer perceber o que diz realmente o teu olhar, tentar reconhecer o que sempre achei conhecer de ti…

Talvez nunca se chegue a conhecer realmente alguém. Talvez “amar” seja isso mesmo, um conhecimento e partilha que é constante ao longo de toda a vida. Talvez seja esse mesmo o prazer, tentar encontrar sempre algo de novo, conhecer sempre mais um pouco, ter sempre mais uma surpresa para dar e receber…

Por outro lado talvez isso nos traga algum desconforto, pois as surpresas podem nem sempre ser as que esperavamos…

Por isso desisti…Porque por vezes, também eu sinto que não me conheço…

Quanto a ti, conhecer-me só de ti depende e da tua vontade.

Sabes onde me encontrar, estarei sempre aqui…



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos