quarta-feira, 26 de junho de 2013

O teu namorado de 16 anos não é nervoso, é uma besta

"Enviar-te 35 mensagens durante o dia a dizer que te ama e a perguntar onde estás não é uma prova de amor. É uma prova de que ele é um controlador e que, se tu deixas que ele o faça e não pões um travão a tempo, a coisa só vai ter tendência para piorar ainda mais.
Fazer-te perguntas sobre dinheiro não é indício de estar atento aos tempos difíceis em que vivemos, e reflexo de uma educação de poupança. Falar muitas vezes disso indica, isso sim, que um dia ele vai querer controlar o teu dinheiro. Aliás, se dependesse dele, era ele que geria já a tua mesada. Quanto gastas. Quando gastas. Em que gastas. Quando deres por ti, estarás a pedir-lhe autorização para comprar coisas para ti.
Pedir a password do teu e-mail ou da tua conta de Facebook não é sinal de que vocês nada têm a esconder um do outro. Não é sinal de que, entre vocês, tudo é um livro aberto. Mesmo que ele insista em dar-te a password dele. Isso é um sinal de desconfiança permanente. E um passo grande para o fim da tua privacidade. Sabes o que é privacidade,
certo? É uma zona tua, onde mais ninguém entra. A não ser que tu queiras.
Os comentários sobre a roupa que usas
ou o novo corte de cabelo não revelam um ciuminho saudável. Revelam que é ciumento. Ponto. Pouco lhe importa se tu gostas daquele top, daqueles calções ou daquelas calças apertadas. Entre os argumentos usados, talvez ele diga que já não precisas de te vestir assim, porque isso atrai a atenção de outros rapazes e tu já tens namorado. Se não fores capaz de lhe dizer, na altura, que te vestes assim porque te apetece, não para lhe agradar, pensa que este é o mesmo princípio que leva muitas sociedades a obrigar as mulheres a usar burka... Não é exagero. Controlar o que tu vestes é exatamente a mesma coisa.
Perguntar-te a toda a hora quem é que te telefonou ou ver o teu telemóvel, à procura das chamadas feitas e atendidas e das mensagens enviadas e recebidas não é um reflexo de pequeno ciúme. É um sinal de grande insegurança. Faças tu o que fizeres, dês tu as provas de amor que deres (na tua idade, o amor ainda tem muito para rolar, mas tu perceberás isso com o tempo), ele sentirá sempre que é pouco. E vai querer mais, e mais. E tu terás cada vez menos e menos.
Apertar-te o braço com mais força num dia em que se chatearam e lhe passou qualquer coisa má pela cabeça não é um caso isolado e uma coisa que devas minimizar porque ele estava nervoso. Aconteceu daquela vez e é muito, muito, muito provável que volte a acontecer. Um dia ele estará mais nervoso. E a marca no teu braço será maior. E mesmo que ele «nunca tenha encostado um dedo» em ti, a violência psicológica pode ser tão ou mais grave do que a física.
Gostar de ti mas não gostar de estar com os teus amigos não é amor. É controlo. E é errado. O isolamento social é terrível.Continuar a telefonar-te insistentemente depois de tu teres dito que queres acabar a relação, ou encher-te o telemóvel com mensagens a pregar o amor eterno, não significa que ele esteja a sofrer muito. Significa, sim, uma frustração em lidar com a rejeição. E se pensares em voltar para ele, pensa que da próxima vez que isso acontecer ele vai telefonar-te mais vezes. E enviar-te mais mensagens.
Guardares estas coisas para ti não é um sintoma da tua timidez. Não quer dizer que sejas reservada. É uma estratégia de defesa tua. E um pouco de vergonha, à mistura, não é? E que tal partilhares isso? Ficarias espantada com a quantidade de amigas tuas que passam por situações semelhantes.
Talvez a sua filha não leia isto. Mas que tal mostrar-lhe a revista, para ela pensar um pouco?"


quinta-feira, 20 de junho de 2013

Vendem tampões?

E qual será a pergunta mais habitual a se fazer numa Biblioteca?

"Vendem tampões?!"

Quem não se lembraria de ter uma coisa destas numa Biblioteca?! Nós é que somos parolos que não temos à venda uma coisa destas tão essencial e importante...Cambada de incompetentes pah!




terça-feira, 18 de junho de 2013

Stress...

Estou com uma alergia na pele há já algum tempo. Entre fases em que parecia estar a passar e outras em que piorava, acabei por me mentalizar que isto não iria passar sem ir ao médico.
Eis que lá acabei por conseguir uma consulta num dermatologista e qual diz ela ser a principal causa do meu problema: stress!
Temos tendência a desvalorizar o dia a dia que vivemos (casa-trabalho, trabalho-casa) que ao fim de um tempo viram pura rotina, mesmo com coisas diferentes a fazer é inevitável não criarmos pequenas rotinas no nosso dia a dia. Desvalorizamos uma boa noite de sono e depois há partes do nosso corpo que sendo mais sensíveis vêm a transparecer tudo isso com o tempo.
Não é um stress que surge de um dia para o outro, é o resultado do acumular de várias coisas e de uma maior fragilidade em determinada altura.

 


 

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Wicked game...


Uma música que cai bem em qualquer 6ª feira! A mim até cai bem em qualquer dia!
Bom fim de semana, sejam felizes. ***

terça-feira, 11 de junho de 2013

Praticar o desapego!

É daquelas coisas que tenho dificuldade! Praticar o desapego!
Quando seguem o seu rumo e não nos levam com elas é porque não tem que ser assim! 
Mas de alguma forma, e para meu suplício, continuo a pensar no que terei feito, se a culpa da "ruptura" terá sido minha e lá vêm os porquê's e os como's e os quando's...enfim...Uma tortura sem qualquer benefício!
Mas...espera ai...eu não mudei, a minha vida é que, como qualquer uma, vai sofrendo pequenas alterações, que nos obrigam a fazer determinadas mudanças. Ficamos com menos tempo livre e com as chamadas "saídas sociais" limitadas, mas não é isso que nos impede de manter relações. 
Sim, cometo erros...sim, fico distante de tempos em tempos...Há alturas em que preciso ficar no meu canto, mas não é por isso que deixo de me dar com as pessoas!
Parece-me correto que quem realmente gosta de nós pelo que somos vai fazer com que resulte mesmo assim... Se não resultar, é porque era uma relação que não tinha mesmo que existir...




sexta-feira, 7 de junho de 2013

Protect your spirit...


Vai um doce?!...

...se calhar não!
Ontem deu-me desejos de algo docinho (vulgarmente chamado de chocolate). Peguei em dinheiro, fui até às máquinas automáticas e olhei para os chocolates e afins, mas de alguma forma hesitei...M&M's, Kit Kat, Maltersers, entre outros, todos os que gosto e mesmo assim nada...nada me fez criar água na boca de satisfação!
Por isso dei meia volta e fui buscar um iogurte que tinha no frigorífico (Yoggi limonada) e fiquei consoladinha...


Não acho normal...não sei...
Deve ser da crise...

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Menos, por mais...

É em dias como o de hoje que concordo com aquele pensamento que diz: "Quanto menos esperares das pessoas melhor, mais elas te surpreendem"...E é uma grande verdade!
Só quero mesmo é focar-me em coisas boas e fazer com que a fraqueza que sinto neste momento se torne numa enorme força e que eu a consiga centrar naquilo que procuro concretizar.
O resto...bem, o resto que seja somente isso! Tenho que dar valor ao que realmente importa...



Taste Porto Food Tours

Encontrei esta página, por acaso, num dos blogues que costumo seguir e não podia deixar de o partilhar. Chama-se Tasteportofoodtours e eis a sua história:

"Inicialmente mencionado em passagem num jantar de Natal entre amigos, a Taste Porto Food Tours cresceu dos seus princípios humildes até o que é hoje. Juntando três Portuenses e uma Americana como sócios, os dois casais desenvolveram a ideia de negócio que combina o seu amor pelo Porto com o seu segundo amor, a comida do Porto. Viajantes ávidos, provadores, chefs caseiros e exploradores culturais, a equipa percebeu que o que queriam mais nas suas viagens era a oportunidade de conhecer os locais e ver as cidades pelos seus olhos. E assim foi decidido unanimemente que a Taste Porto Food Tours iria fazer exactamente isso: permitir que outras pessoas provem o Porto connosco!" 


Helpful Information
Quando
Sábados, durante o ano todo
Hora
As visitas começam às 10:30 (em Inglês) e às 16:00 (em Português)
Quanto custa
Adultos: €48 | Crianças: €38
Onde
Perto do mercado do Bolhão
O que está incluído
6 provas de comida + 1 prova de vinho
Duração
3.5 horas
Distância percorrida
3 km / 1.9 milhas
Condições climatéricas
Faça chuva ou faça sol
Capacidade
Até 10 pessoas
O que usar
Roupa e calçado confortável








É ou não é giro que se farta?!

Pensamento do dia...


quarta-feira, 5 de junho de 2013

Gostar de mim quando sou invisível...

Tenho este pensamento várias vezes... Gosto de quem gosta de mim quando sou "invisível"...Naqueles dias em que não pomos maquilhagem, nem vestimos nada de especial, quando nem sequer nos sentimos nos nossos melhores dias...e mesmo assim, nesses dias, há quem repare em nós e goste do que vê!
É dessas pessoas que eu gosto, é a essas pessoas que tento valorizar, são essas pessoas que me fazem sentir especial, são as que gostam de nós pela nossa essência e não pela nossa melhor aparência!