...então não é amor... (?!)



“Assim assustas-me, assim penso que vais, assim penso que queres ir, assim penso que não queres,
assim assustas-me tanto que já não sei o que é respirar, que já não sei como se respira.

Se não tens, a toda a hora, medo de que acabe: então não é amor.”

--------------------------------
"In Sexus Veritas", de Pedro Chagas Freitas





Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos