Auto confiança...

"Cada um de nós tem o seu próprio poder. Desenvolver os nossos
talentos e a nossa potencialidade mostra-nos a capacidade humana de superação"


A autoconfiança, ao contrário do que muitos
pensam, não é ser maior ou melhor do que as outras pessoas. Não tem nada a ver com arrogância ou superioridade.
É saber que cada um de nós tem um núcleo de força
interior que nos permite enfrentar situações difíceis e nos torna
aptos a viver. Autoconfiança é tomar posse de si mesmo,
independentemente das nossas qualidades ou defeitos. É tomar
consciência da nossa singularidade, da nossa individualidade, do
nosso querer, da nossa vida.
Nós sentimos de acordo com o que pensamos de nós mesmos. O diálogo interno de autocensura, de muita exigência nos torna tímidos, recuados diante da vida e propensos à tristeza quando o mundo não nos
atende da maneira que gostaríamos ou quando as dificuldades da vida aparecem. Não são poucas as pessoas que falam mal de si próprias:
- Não vou dar conta, sou muito fraco, não tenho força de vontade,
tenho um génio difícil, não consigo nada que quero.
A autoconfiança é como uma bateria para o carro. Quando está bem
carregada, o carro funciona bem. Quando está com pouca carga, o carro engasga ou não funciona direito.
De que maneira podemos carregar ou descarregar a nossa bateria vital, o nosso entusiasmo? Há alguns mecanismos que corroem nossa autoconfiança.
O primeiro deles é a nossa constante frustração. Idealizamos o mundo e as pessoas. Enchemos a nossa cabeça com um monte de "deverias" e irritamo-nos quando as pessoas, nós e as coisas não são como deveriam ser. A culpa constante por nossos erros, a sensação de ofendidos, magoados, humilhados e
incompreendidos é a consequência do nosso perfeccionismo.
Outro ladrão da autoconfiança é a indecisão crónica.
O medo de errar paralisa-nos e impede-nos de
arriscar
. Muitos de nós temos apenas um critério de funcionamento: o certo e o errado.
O medo da crítica, de querer agradar sempre, a necessidade de aprovação nos oprime e nos leva à indecisão.
A comparação com as outras pessoas é outra forma de perdermos nossa autoconfiança. Sempre haverão pessoas melhores e piores do que nós.
Não estamos no mundo para sermos mais ou menos do que alguém, mas para sermos cada vez melhores do que somos. Desenvolver e cuidar da nossa alegria, aceitar o facto de sermos únicos, perdoar-se constantemente pelas falhas, ter um desejo genuíno de melhorar a cada dia, aumentar a capacidade de se amar e amar os outros é o único caminho de conexão com o nosso poder interior, a nossa autoconfiança.
Todos podemos desabrochar aquilo que somos.

Como adquirir auto-confiança por Antóniob Roberto Soares, 2008
IN: http://pt.shvoong.com/humanities/1786269-como-adquirir-auto-confian%C3%A7a/

Comentários

Sílvia Maria disse…
Auto-confiança significa que estamos tão bem e seguros de nós mesmos que nem sequer nos passa pela cabeça qualquer tipo de comparação com os outros. Sabemos quem somos, o que somos, de que somos capazes, e com uma dose de entusiasmo pela vida tomamos conta de nós mesmos e nos auto-promovemos, pois só ai podemos ser melhores para com os outros.
Não significa que temos que nos isolar para finalmente perceber quem somos, mas concerteza que por estarmos em sociedade somos bombardeados consecutivamente com a ideia que temos que competir. Nada mais errado. A unica pessoa com que devemos competir é connosco para chegarmos mais longe, para nos sentirmos bem, para viver a vida com tudo de bom que nos está reservado.
Quando estamos bem, nada nem ninguém consegue abanar o nosso mundo. A opinião dos outros apenas transmite sua forma de pensar e sua utilidade so se verifica se realmente for caso disso, nunca no sentido de nos destruir ou fazer sentir diminuidos.
Frustação deverá ser algo a retirar do vocabulário. Pensemos nas coisas boas que temos, mesmo as mais pequenas que ignoramos diariamente e so assim podemos concluir que não somos frustação mas um milagre da vida. Eu nasci...não é fantástico?
Beijo

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos