Erros...

Verdade, verdadinha!
Não saber qual o caminho a seguir, de forma ao erro não ser tão grande!
Nem qual a origem dos medos e receios que sentimos em arriscar!
É achar ser capaz de antever as consequências (como se fosse possível)!
E continuar, mesmo assim, a sentir que se está a errar constantemente, como se em algum momento o caminho escolhido tenha sido o errado!

Comentários

Hugo de Macedo disse…
É mesmo. Grande verdade, essa.

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos