Qual é o limite?

Qual é o limite entre o nosso esforço em agradar os outros ou em nos agradar a nós? Qual a linha que separa aquele espaço ténue entre perdermos o respeito por nós próprios, pelos nossos gostos, pensamentos e vontades e deixarmos-nos levar por aquilo que os outros 'esperam'?! 
Nem sei sequer se me estou a saber exprimir direito, mas se há coisa que me mete confusão é sentir que estão frequentemente a fazer ou dizer aquilo que os outros esperam ver/ouvir e não aquilo que realmente pensam e sentem. Afinal, para quê nos chatearmos não é mesmo?! (por favor, ler com ironia).
É absurdo pensarmos que as pessoas nos vão valorizar por muito tempo quando as coisas funcionam assim, puramente por submissão de uma das partes. Refiro-me a qualquer tipo de relação, seja ela pessoal ou profissional. Ao fim de um tempo essa submissão vai vir ao de cima e alguma das partes vai-se mostrar insatisfeita por ela. Vão haver mal entendidos, alguém vai sair desgostoso, vão haver desilusões, vão até começar a surgir desconfianças e dúvidas, porque ninguém consegue ser submisso por muito tempo. 
E ninguém consegue mudar realmente alguém, portanto o melhor mesmo é mantermo-nos fiéis ao que somos. Fazer pequenas mudanças conforme o tempo e o amadurecimento o permitirem, claro que sim! Tentar alterar o nosso comportamento conforme as pancadas que vamos levando, claro...mas sempre sendo fiel ao que somos! E se mesmo assim sentirmos que ainda não é o melhor de nós, se mesmo assim acharmos que estamos a errar...bem, nesse caso é fazer o que nos faz sentir melhor!




Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos