Entristece-me...

Hoje fui a um funeral do pai de um amigo. O segundo que vou em cerca de dois meses. Dois pais que morrem a deixar filhos que ainda precisavam deles por perto.
É muito fácil para quem está de fora dizer que a vida continua e muita força, etc., mas não imagino como será a dor...ou melhor, dói só de imaginar... não quero sequer pensar nisso!
O que me entristece nestes momentos é a forma como valorizamos as 'pequenas dores' por que nos doemos à beira da dor destas pessoas e de tantas outras que sofrem vidas inteiras com doenças que ninguém merece ter. 
Entristece-me quando nestes momentos penso que, de alguma forma, não dizemos nem fazemos o que realmente sentimos às pessoas que gostamos e que depois só valorizamos isso quando as perdemos....é um pensamento que me custa e dou por mim a fazê-lo desaparecer antes que me magoe mais. Esse e tantos outros que por momentos me passam pela cabeça e gostava tanto de os eliminar. E tenho que o fazer, porque de alguma forma sinto que essa não sou eu, ou pelo menos não o quero ser.  


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos