O livro dos sonhos...

Conhecem o livro 'O monge que vendeu o seu Ferrari' de Robin Sharma?!
É uma fábula espiritual fantástica, recomendo.

A história fala-nos de um advogado de sucesso chamado Julian, que após ter sofrido um ataque cardíaco, questiona toda a sua vida. Julian achava que tinha tudo o que qualquer pessoa pode sonhar. Era rico e bem sucedido profissionalmente, mas nunca se sentia satisfeito. Decidiu então vender todas as suas posses terrenas, abandonar a sua carreira profissional e empreender uma odisseia a pé pelo Oriente, em busca de uma nova sabedoria, que lhe permitisse viver com outra qualidade de vida.

Regressa três anos depois, com uma aparência impressionante, mais magro e mais tranquilo. O segredo? Todos os ensinamentos que aprendeu com um grupo de monges dos Himalaias e que agora vai partilhar.

Com a experiência de Julian, uma pessoa fica realmente a pensar o que pode mudar na sua vida para viver melhor. A primeira coisa que tenciono fazer quando acabar o livro é realmente criar o Livro de Sonhos que o autor menciona e que irei falar mais à frente. Outros fatores como apreciar as pequenas coisas do nosso dia, já costumo fazer sempre que consigo e realmente resulta, faz-me sentir em paz nem que seja por um instante.

Será que é realmente possível cada pessoa controlar a sua mente ao ponto de não deixar entrar nenhum pensamento negativo? O livro diz que sim. Diz que ser otimista ou pessimista apenas depende de nós. Trata-se de condicionar a mente para traduzir todos os acontecimentos em lições positivas e fortalecedoras. Pensar que "não existem erros na vida, apenas lições. Não existem experiências negativas, apenas oportunidades para crescer, aprender e avançar ao longo da estrada do auto domínio. Da luta advém a força. Até a dor pode ser um professor magnífico". E acreditar que a Natureza garante sempre que quando se fecha uma porta, abre-se outra.

“Quando te sentes inspirado por um objetivo grandioso, por um projeto extraordinário, todos os teus pensamentos se libertam dos seus grilhões: a mente transcende as limitações, a consciência expande-se em todas as direções e tu deparas-te com um novo, magnífico e maravilhoso mundo. As forças, faculdades e talentos adormecidos despertam para a vida e descobres que tu próprio és uma pessoa muito melhor do que jamais pensaras ser possível.” (Patanjali) Faz-me sentido! É ou não é verdade que quando estamos motivados para algo sentimos uma força completamente diferente para fazermos as coisas acontecerem?! O livro diz que o simples facto de termos um desejo ou um sonho significa que temos a capacidade correspondente de o concretizar. Que o segredo da felicidade é descobrir o que gostamos de fazer e, depois, canalizar toda a energia nessa direção.

Ainda ontem li a parte do livro em que fala da ideia de criarmos um Livro dos Sonhos, caramba, gostei tanto da ideia. Segundo o livro funciona da seguinte forma: num dia normal, passam-nos cerca de sessenta mil pensamentos pela cabeça, dos quais 95% são os mesmos do dia anterior. Ao escrevermos os nossos sonhos e objetivos, criamos uma imagem da realização dos mesmos e fazemos com que eles apareçam prioritariamente nos nossos pensamentos diários. Vou ter que criar um, acho super interessante a ideia e mal não deve fazer!

O autor enumera também uma série de técnicas e explica o porquê de devermos sempre investir em nós: “Não só conseguirás melhorar a tua vida, mas também a vida daqueles que rodeiam. Só quando domines a arte de amar-te a ti mesmo poderás amar de verdade os outros. Só quando abrires o teu coração poderás chegar ao coração dos outros. Quando te sentes centrado e vivo de verdade, estarás em boa posição para ser uma pessoa melhor”.

"Melhora o teu corpo e a tua mente. Nutre o teu espírito. Faz as coisas que temes. Começa a viver com uma energia transbordante e entusiasmo ilimitado. Vê o nascer do Sol. Dança debaixo da chuva. Sê a pessoa que sonhas ser. Faz as coisas que sempre quiseste fazer, mas que não fazias porque achavas que eras demasiado jovem ou demasiado velho. Prepara-te para viver uma vida de verdade, plena e intensa. No Oriente, dizem que a sorte favorece as mentes preparadas. A vida também favorece as mentes preparadas.” 

Por Robin Sharma, em O monge que vendeu o seu Ferrari

Vale a pena ler!

Comentários

Dina disse…
Admito que não o consegui acabar ...

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos