Mudança (take II)

"Mude.
Mas comece devagar,
porque a direcção é mais importante que a velocidade.
(...)
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
(...)
Tente o novo todo dia,
o novo lado, o novo método, o novo sabor, o novo
jeito, o novo prazer, o novo amor, a nova vida.
Tente.
Procure novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
(...)
Ame muito, cada vez mais, de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas,
troque de carro, compre novos óculos, escreva outras
poesias.
(...)
Mude.
Lembre-se que a vida é uma só.
E pense seriamente em arranjar um novo emprego,
uma nova ocupação, um trabalho mais light, mais
prazeroso,
mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa,
se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas.
Mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança, o movimento, o
dinamismo, a energia.
Só o que está morto não muda!"

Por: Edson Marques 

Comentários

Sílvia Maria disse…
Amei!!!
Deu-me uma ideia fantástica. Vou mesmo mudar qualquer coisa todos os dias para fazer de cada dia um dia especial.
Obrigada pela partilha!
Sofia disse…
Ui, é tão verdade! Afinal, nós não somos árvores para ficar sempre no mesmo lugar...
Beijinhos,Sofia
Edson Marques disse…
Que bom que você gostou do meu poema Mude!

Porém, ao contrário do que você diz, não é de "autor desconhecido" ... rs!

Faltou checar as fontes, ou consultar na internet.

Assim como você, muita gente supõe erradamente que esse poema é de Clarice. Mas não é.
No meu blog publico todas as "provas" de que sou o autor:
1. Registro do poema Mude na Biblioteca Nacional em agosto de 2003.
2. Livro Mude, editado pela Pandabooks, com prefácio de Antonio Abujamra.
3. CD Filtro Solar, Pedro Bial, onde na faixa 4 o Mude foi publicado (contrato que fiz com a Sony Music)
4. Há milhares de publicações com a citação de autoria correta, em meu nome.
5. O chato é que o filho de Clarice Lispector VENDEU meu poema como se fosse da mamãe dele... rs! (Mas já ganhei expressiva ação judicial por danos morais: veja www.desafiat.blogspot.com )

Enfim, o que o escritor mais gosta é disso mesmo: ver sua obra reconhecida -- mesmo que com autoria "transferida" para Clarice Lispector...

Espero que, mesmo agora sabendo que não é de Clarice, você mantenha o texto em seu blog. E, se puder, corrija a autoria.

Mude,
Mas comece devagar,
Porque a direção é mais importante que a velocidade.


Abraços,
Elisabete disse…
Edson: Peço imensa desculpa pela falha na minha pesquisa, mas realmente não reparei na sua autoria!
E desde já os meus parabéns pelos seus textos!
Já corrigi a autoria do poema, dando a indicação de quem é o autor e claro que continuará aqui publicado, até porque gosto bastante dele.

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos