Amish...

Acho que vou virar uma Amish...Que vos parece?!
Manter um estilo de vida tipicamento do século XVIII em pleno século XXI (o que sinceramente considero uma coisa incrível)!
Dedicar-me à vidinha campestre, à família e à procriação, tudo segundo as leis de Deus claro está.
Não deixo de considerar isto tudo admirável! As pessoas que optam por este estilo de vida rejeitam tudo o que é tecnologia no seu lar, como é o caso da eletricidade, mas o caricato é que, por exemplo, no celeiro já podem usar geradores para a extracção do leite nas vacas! São geradores a gás ou diesel para assim poderem evitar os fios eléctricos!
Ou seja, as suas escolhas são feitas conforme a sua utilidade para as actividades do dia-a-dia, nunca poderiam optar por alguma coisa apenas por diversão ou curiosidade!
Tudo o que consumem e o que vestem é produzido por eles, a ideia é que o guarda-roupa sendo limitado elimine o orgulho e a inveja que vêm com a moda, além do desperdício de tempo e dinheiro.
Esta comunidade tem vindo a crescer nos últimos tempos, por muito estranho que possa parecer, mas é verdade!
O que marca a entrada na igreja Amish é o batismo. Juntar-se à igreja é uma decisão que não pode ser feita antes dos 16 anos. No entanto, de acordo com a filosofia da escolha de cada um, com 16 anos pode deixar a comunidade para experimentar a vida externa se assim o entender, sendo-lhe permitido retornar dentro de um breve período. Entretanto, um membro que deixa permanentemente será afastado, deixando de existir qualquer tipo de laços familiares.

Não deixa de ser interessante isto tudo...Ontem estava a ver uma série em que uma adolescente Amish, nos seus 16 anos quis vir conhecer a cidade e acaba por acabar morta! Fiquei curiosa com o seu estilo de vida e decide pesquisar sobre o assunto e sinceramente não pensei que fosse uma comunidade tão grande!


Dados extraídos do texto de Stephen Wise

Comentários

Sílvia Maria disse…
Já vi vários documentários acerca dos Amish e devo dizer que são um povo que me assusta pelo radicalismo. Não é só o facto de excluirem qualquer forma de tecnologia no seu lar e no dia-a-dia é de o fazerem também no que diz respeito à saúde...apenas depois de reunida lá a asembleia é que decidem se podem ou não ir para um hospital...
Excluir um membro da família por coisas de mer*** que não tem outra expressão, deixar de falar e mesmo virar as costas como se não conhecessem de lado algum é coisa que não possod e forma laguma tolerar.
Para mim são todos uma cambada de malucos. Ainda bem que eles próprios têm a iniciativa de se fecharem porque odiaria conviver com eles e olha que sou muito tolerante!!
Elisabete disse…
Eu digo que é admirável mesmo por isso, é com ironia, porque admira-me como e porquê que eles sentem necessidade de viver assim.
Não é porque se vive (no seu verdadeiro sentido) a vida que se está a ir contra as "leis de Deus" e muito nos usarmos do que existe para vivermos em conforto.
E lá está, o facto de eles excluírem um membro vai mesmo contra tudo o que dizem defender.
Aquilo era "melhor" que uma prisão...Pelo menos lá, tinham que trabalhar para consumir, não há televisão nem nada do género, de certeza que se enchiam num instante!
Dexter disse…
Muito sinceramente: acho que dava em doido!
Olha a Sofie... eerrr... cof... cof... nada nada!

"(...) Dedicar-me à vidinha campestre, à família e à procriação (...)". Adorei. Sexo apenas para procriação.

Eu, é como em tudo, cada um sabe de si. Se são felizes assim.
Elisabete disse…
Dexter: Também eles devem dizer o mesmo sobre nós :)

Sofie: Só para pocriar minha cara :)
Nada de sexo apenas em busca de prazer :)

Gimbras: É como dizes, há que respeitar, por isso é que referi no texto que acho "admirável", mas estranho e assustador ao mesmo tempo :)
Fatucha disse…
olá, primeira vez aqui...e gostei.
Já viste A Testemunha?
Elisabete disse…
Olá Fatucha...

Obrigada :)
Não, mas quando pesquisei sobre o assunto também sugeriram esse filme...
Recomendas?!
Fatucha disse…
Sim, recomendo. O filme retrata a vida dos amish com mt pormenor no que diz respeito á vida deles em comparação com a sociedade, fala também sobre o amor entre um não amish e aborda outros dramas que acho q vale mm a pena, nem que seja pelo desempenho mto bom do Harrison Ford em plenos anos 80. bjs
Elisabete disse…
Eu tenho ideia que já vi parte do filme, mas já nem disso me recordo direito. Vou tratar de o arranjar para ver!
Obrigada pela dica.

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos