Avançar para o conteúdo principal

Mostra-me a tua casa...

A forma como organizamos as nossas casas pode influenciar a forma como nos sentimos e vivemos, todos os dias.
nm1188_decor01
Mostra-me a tua casa e dir-te-ei quem és. E quem poderás ser. Mais que um reflexo de quem somos, a forma como organizamos as nossas casas pode influenciar a forma como nos sentimos e vivemos, todos os dias.
Poucos estranharão a expressão feng shui, mas são também poucos os que sabem, exatamente, do que trata esta arte milenar chinesa. Muito mais que mera proposta de decoração, na base do feng shui está o conhecimento de como a energia (chi) existe e flui pelos espaços. A tradução literal de feng shui é, aliás, «vento e água».
«Para a maioria dos ocidentais, o feng shui é chinês! Não o usamos nem aplicamos porque, simplesmente, não o conhecemos. Mas pode melhorar a vida, simplificá-la, arrumá-la, organizá-la, limpá-la do passado e prepará-la para o futuro!», explica Inês Franco, arquiteta e «terapeuta do lar», que usa o feng shui para transformar a vida de quem a procura.
Ao contrário da simples decoração com propósitos estéticos, nesta arte oriental tudo é calculado para permitir um fluxo de energia otimizado em cada divisão, energia essa que se manifesta em cinco elementos – água, madeira, fogo, terra e metal – e que pode ser classificada como Yin (suave, passiva e calmante) ou Yang (ativa, agressiva e brilhante). Encontrar o equilíbrio passa pelo uso adequado de elementos que invocam estes materiais no interior do espaço e que funcionam como ferramenta de harmonização da energia. Combinando-os, é possível tirar o melhor partido de cada divisão, criando um fluxo energético adequado às suas funções.
É aqui que entram em cena os consultores de feng shui, como Inês. Conciliando-o com arquitetura, yoga e meditação, a terapeuta do lar acredita que trata, mais que de casas, «das pessoas que nelas habitam», já que muitas vezes visita clientes para resolver problemas ou simplesmente harmonizar-lhes a vida: «acabo por ajudar dando soluções arquitetónicas para a casa e sugerindo outras terapias para o corpo e mente!» Para além das consultas em casa dos clientes, Inês realiza também workshops regulares. Fique com algumas dicas simples que o poderão ajudar a melhorar a circulação do chi em sua casa.
» Arrume e limpe tudo, como se estivesse a limpar o que não quer na sua vida, e livre-se de tudo o que já não usa, limpando o passado.
A desorganização interrompe o fluxo de energia positiva dentro de casa – o que pode acabar por se refletir na forma como nos sentimos. Uma casa mais arrumada proporciona calma, tranquilidade e permite-nos organizar melhor os nossos pensamentos. Liberte-se também dos objetos que lhe trazem sofrimento ou que já não usa. A acumulação é estagnação.
» Verifique se tudo funciona bem e está em bom estado - canalizações, torneiras, lâmpadas, eletrodomésticos, fechaduras…
Se a sua vida é um reflexo da sua casa, não quer uma vida que não funciona, certo? Conserte imediatamente tudo o que precisa de ser reparado, para que a energia possa fluir corretamente.
» Aproveite o sol, a luz natural: abra as janelas e deixe a energia entrar
A iluminação é fundamental na ativação da energia da casa. Idealmente, todas as divisões devem receber bastante luz natural, contribuindo para um maior bem-estar e energia. Abra as janelas e cortinas e deixe o sol fazer o seu papel.
» Aposte nas cores certas, nos ambientes certos
Diferentes cores evocam diferentes elementos e estimulam diferentes energias. Para ambientes onde procura repouso, use tons pastéis e suaves. Já se pretender estimular a paixão e energia, use cores do elemento fogo, como vermelhos, laranjas, violetas e amarelos. As cores do elemento terra, como beges e amarelo claro, são muito boas para a sala, incutindo estabilidade, enquanto as cores do elemento metal, como cinza e branco, trazem clareza e precisão, sendo ideais para um escritório.
» Remova todos os aparelhos eletrónicos dos quartos de dormir
Televisões, portáteis, ebooks… todos eles interferem com o nosso repouso. Estabeleça limites bem definidos entre a área de descanso e a área de trabalho.
» Mantenha a porta da casa de banho e tampa da sanita sempre fechadas
De acordo com o feng shui, manter a porta e a tampa abertas leva à saída das boas energias associadas à abundância. Não arrisque.
» Elimine arestas ou diminua os seus efeitos cortantes
As arestas aguçadas podem dificultar a circulação de energia e provocar desentendimentos. Opte, sempre que possível, por objetos com formas arredondadas.
» Organize os seus móveis de modo a permitir uma circulação fácil
Muitas vezes, no feng shui, menos é mais. Tudo o que atrapalhe a circulação de pessoas atrapalha, também, a circulação da energia. Tenha atenção a este aspeto na altura de posicionar os seus móveis.
» Verifique se a cama, mesa e secretária estão na melhor posição para cada utilizador
Encostar camas, mesas e secretárias à parede pode significar, muitas vezes, «prender» um dos utilizadores, que acaba por ficar «entre a espada e a parede». Organize-se de modo a que a energia circule livremente em torno destes móveis.
» Compre flores e plantas naturais e espalhe a alegria, cor, natureza e beleza na sua vida
As plantas e flores naturais potenciam boas energias, ao contrário das artificiais que, por não terem vida, deixam a energia estagnada. Evite, porém, as plantas com espinhos e tenha atenção para remover folhas murchas e secas, sempre que necessário.
Mais informação aqui. Os workshops têm um preço de 21 euros (duas horas) e a inscrição é obrigatória: através do email ifrancoarquitet@gmail.com

Muito interessante...tudo aquilo que fazemos, a forma como organizamos o nosso trabalho, a nossa casa e mesmo o nosso carro será sempre um reflexo da nossa personalidade.
Notícia retirada daqui.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Os peões e as passadeiras