Às vezes sinto...

Às vezes sinto inquietação…por querer fazer mais qualquer coisa e nem sempre o conseguir!
Às vezes sinto revolta…por a minha cabeça dar tantas voltas sobre o mesmo assunto e quantas vezes, sem nenhuma necessidade, sofrendo por antecipação!
Às vezes sinto-me pequenina…perante o mundo, perante todos os outros, perante tudo!
Às vezes sinto solidão…sinto que não tenho ninguém. Ninguém que me conheça como realmente sou, ninguém que goste de mim por realmente me conhecer, alguém que não se aproxime com determinado interesse!
Às vezes sinto-me injustiçada…porque o que faço não é visto da forma como gostaria, porque o que dou nunca é suficiente, porque detesto que duvidem da minha palavra!
Às vezes sinto-me fraca…por não lutar o suficiente pelos meus objectivos, por me deixar ir abaixo quando deveria estar bem lá em cima, por me deixar influenciar pelas minhas inseguranças, por deixar que coisas do passado me influam, quando nada, nem ninguém é igual e embora se aprenda, nada acontece da mesma forma, tudo é uma nova experiência de vida!
Às vezes sinto tristeza…sinceramente, por tudo e mais alguma coisa! Por aquela constante sensação do querer sempre mais, da insatisfação do que se tem (quando já é tanto), por pensar na fragilidade do ser humano, por pensar que não sou capaz, por pensar que não sou merecedora de… (acho que resumindo, tenho é que deixar de pensar)!
Às vezes sinto-me insegura…demasiado insegura de mim mesma, demasiado insegura do que faço, demasiado insegura em relação aos outros!


Não gosto destes “às vezes”, não gosto de viver dizendo os “e se”
O que me vale, é que não vivo em função disso e, embora nem sempre me pareça assim, esses pensamentos acabam por ser demasiado insignificantes e breves, porque quando me apercebo que já é muito o que tenho e que basta eu gostar de mim para mais alguém gostar… tudo fica bem claro na minha cabeça, não há cá meios-tons!

Comentários

Sílvia Maria disse…
É verdade que para quem te conhece um pouquinho consegue olhar para ti e ver os momentos em que essa tua cabeça já começou nesse turbilhão e vejo-te erguer no teu olhar uma barreira de defesa e tua postura muda, afastas-te.
Em contrapartida muitas das vezes vejo-te sorrir, vejo alegria, carinho e simpatia no teu olhar. Muitas das vezes ouço a falar uma mulher forte e decidida, capaz, maior que os maiores. És a Becas e mai nada!!
Eu gosto de ti :)
Beijos
Dexter disse…
Acho que somos todos um pouco assim. Chega a um momento da nossa vida em que nos sentimos assim para o perdidos e acabamos por pensar que a culpa é nossa porque nada fizemos para melhorar a nossa situação.

Eu tb sinto isso por vezes.

Mas tens é que ter força e acreditar em ti :)
Hugo de Macedo disse…
"...não há cá meios-tons!" - eu também sou assim, mas por vezes, para encontrarmos o "preto" ou o "branco", também temos que passar pelo cinzento - mas que seja por pouco tempo!
:)

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos