Casar ou não casar?!


Há uma coisa que ultimamente me tem metido alguma impressão, talvez por o meu irmão se ir casar este ano, este tema tem vindo a ser mais falado.
Pois bem, porquê que sempre que comento isso com alguém as pessoas me dizem: "Ele que não faça isso..." (!?)
Isto vindo principalmente de quem já é casado é um bocado assustador...
Mas qual é então a grande diferença entre estarem a morar juntos e tomarem a decisão de se casarem?!
A responsabilidade, o compromisso, o respeito não são os mesmos?
A opção de morarem juntos, já por isso, é um grande passo, já é o quererem partilhar uma vida em comum, não percebo qual é o mal de se casarem...
O que é que pode mudar?!
Acho que o principal erro das pessoas hoje em dia é assumirem uma relação pensando à partida no seu fim. Já sei que devemos ser prudentes, mas se assim é, casam-se em Separação de Bens. Pronto, assim caso se divorciem as coisas já são mais simplificadas!!
Para além do mais, sei de casos de casais que se separaram depois de estarem a morar juntos e tiveram imensos problemas com a separação a níveis judiciais e de partilhas, etc., uma verdadeira dor de cabeça.
Há sempre alguém que fica a perder, seja como for!
Alguém me sabe explicar então qual é a grande diferença?! E o porquê deste enorme preconceito em relação ao casamento?!

Comentários

Phyxsius disse…
Talvez o dinheiro gasto na cerimónia, não sei... Para mim, é o que faz mais confusão. Casa-se pela Igreja porque é bonito (na maioria dos casos) e faz-se uma festa de arromba para não se parecer menos que os outros.

Depois, casar só tem vantagens a nível do pagamento de impostos :D Pelo menos, é o que dizem...
Dexter disse…
A diferença está na cabeça das pessoas, que acham que por um anel no dedo muda mta coisa. Se as pessoas já vivem juntas, já partilham a sua vida, n sei em que é o casamento muda.

E se lhes faz tanta confusão casar, então que façam como disseste: separação de bens. Além do mais, hj em dia o regime do divórico est´amto mais simplificado, já n é a trabalhaeira de antigamente...

As mentalidades é que estão um bocado tacanhas, mas o que é que se há-de fazer?
Elisabete disse…
Physius: Sei bem que a maior parte só se casa pelo dia de festa em si e quando têm quem o possa pagar, muitas vezes sem pensar muito no assunto!
O que eu não concordo é naquelas pessoas que criticam quem o faz por opção...É tudo uma questão de opção penso eu :)

Dexter: Mas é que só pode ser mesmo! Parece que agora fazem do casamento uma coisa do século passado...São ideias...
Sílvia Maria disse…
Eu sou apologista do casamento não por questões de festa nem tão pouco de dinheiro mas porque sou tradicionalista e gosto. Gosto da ideia de "marido e mulher", de papel assinado, de aliança e etc...Minha ideia de família passa exactamente pelo casamento, não que só assim o pense fazer até porque com ideias tão diferentes hoje em dia o mais certo é vir a encontrar alguém (como já tive experiencia) que não faz mínima questão de casar nem coloca a hipotese.
Também já me apercebi que grande parte das pessoas casadas gosta sempre de mandar essa piada de "não te cases" ou "se soubesse não teria casado". Acho de pessimo gosto fazerem isso não só para com quem casaram mas até com eles mesmos que parecem querer dar um ar de frustrados e coitadinhos que cairam na teia do matrimonio. Se assim é porque continuam casados? É uma questão de coerência com o que se diz e o que se faz.

Mensagens populares deste blogue

Os melhores queijos frescos